24 de abr de 2010

Fusão Sabesp e Saned está mais perto

Leonardo Britos
Agência BOM DIA

O prefeito de Diadema, Mario Reali (PT), anunciou ontem alguns detalhes da provável fusão entre a Saned (Companhia de Saneamento de Diadema) com a estadual Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

A minuta do projeto, que foi protocolada na última quarta-feira na Câmara Municipal, prevê a criação de uma empresa de economia mista - administrada pelas duas empresas - com investimentos de R$ 191 milhões para melhorias no abastecimento municipal.

O prefeito afirmou que o projeto prevê a garantia dos empregos dos trabalhadores da empresa municipal. “Existe a dúvida dos trabalhadores, que pensam que terão que fazer um novo concurso, mas montamos esse projeto com o fluxo de caixa que garante a permanência de todos os postos de trabalho”, afirmou o prefeito, sem dar mais detalhes sobre a existência da cláusula no projeto.

Outro ponto de discussão do projeto é a tarifa social que, segundo Reali, será mantida na fusão.

A dívida com a Sabesp, estimada em R$ 600 milhões, foi amenizada na fala do prefeito, que definiu a fusão não como uma solução econômica, mas sim uma parceira para melhorias. “A Sabesp é parceira. Temos que equacionar os problemas e não criarmos mais dívidas no futuro.”

A discussão com a população, segundo Reali, será feita de todas as formas para que, quando a fusão for concretizada, possa garantir mais benefícios para a cidade. “Vamos montar audiências públicas para discutir o processo com a população e com os funcionários da Saned, para mantermos a qualidade no serviço prestado”, disse o prefeito.

Servidores temem parceria
Com a confirmação da fusão entre as empresas de saneamento, os funcionários da Saned temem não participar do processo de discussão do projeto.

“Até agora não tivemos acesso ao projeto de lei enviado à Câmara. Como vamos participar das discussões se não sabemos o que está acontecendo? Queremos participar das negociações, mas com informações”, afirmou o funcionário da Saned e diretor sindical Roberto Alves Silveira, o Gaúcho.

Existem vários pontos sobre os quais o Sintaema (Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo) pede explicação. “Não existe uma definição quanto à tarifa social, o mesmo para o emprego dos funcionários da empresa. Temos receio pela Sabesp ser uma empresa que visa o lucro, diferente da Saned”, afirma Gaúcho.

Nenhum comentário: