22 de mai de 2009

Empresa de Diadema produz sacolas oxi-biodegradáveis

Plástico produzido demora menos de dois anos para se decompor, de acordo com empresa

A D1000 Plásticos, de Diadema é a primeira empresa da Região a iniciar a produção de sacolas plásticas oxi-biodegradáveis. A indústria compra o oxidante da Inglaterra para colocar no meio da cadeia química do plástico, que age no produto e ajuda se decompor rapidamente. De acordo com informações da D100 Plásticos, as sacolas oxi-biodegradáveis levam um ano e oito meses para se decompor, enquanto as sacolas convencionais duram em média 180 anos.

O gerente comercial da D1000 Plásticos, Carlos Alberto Machado, disse que os clientes que compram as sacolas oxi-biodegradáveis são empresas que se preocupam com o meio ambiente. “O preço das sacolas é 10% mais cara do que as convencionais, mas dependendo da quantidade, fazemos pelo mesmo preço. Assim, as empresas podem ajudar a natureza comprando um produto melhor”, explicou.

De acordo com Machado, o produto é ecologicamente correto e pode ser comparado com um quilo de papel, que deixa quase 700 vezes mais gás carbônico no ar do que a sacola. Além disso, informou o gerente comercial, o plástico oxi-biodegradável pode ser feito de material reciclado porque não contamina os processos de reciclagem, nem precisa de coleta separada como é o caso do plástico biodegradável.

A D1000 Plásticos produz 10 toneladas por mês desse tipo de sacola e não é vendida por unidade, apenas em grandes quantidades. A empresa também está estudando a ideia de produzir sacolas biodegradáveis com material vindo da cana-de-açúcar.

Jornal ABCD Maior

Nenhum comentário: