17 de jun de 2009

Uniformes só no próximo semestre

Kelly Zucatelli
Vivian Costa - DGABC

O primeiro semestre de 2009 praticamente acabou e muitos alunos das redes públicas do Grande ABC continuam sem uniforme novo. As prefeituras afirmam que estão dentro do prazo.

Para as crianças de Mauá não há nenhuma expectativa para entrega dos kits. Em fevereiro, a administração municipal informou que não haveria previsão para a distribuição. "Estamos esquecidos aqui nessa escola. Ninguém disse nada sobre esse assunto", lamentou a dona de casa Claudia Batista da Silva, que tem filhos estudando na escola Cora Coralina, no Jardim Bom Retiro.

Em Santo André, segundo a Prefeitura, os kits devem ser entregues nos últimos seis meses do ano, mas a administração não especificou quando.

A Secretaria de Educação e Cultura de São Bernardo informa que os uniformes serão entregues no começo do próximo semestre para os 85,6 mil alunos. A secretária de Educação e Cultura, Cleuza Repulho, afirma que o novo uniforme será diferente, mas não detalhou as alterações. " Vai haver algumas mudanças, mas não posso adiantar porque não batemos o martelo."

Em Ribeirão Pires, a promessa para os uniformes é para agosto. A Prefeitura afirma que já abriu licitação para a compra dos kits.

Para Paulo Neves, da Apeoesp (sindicato de professores da rede pública), as crianças são prejudicadas. "Infelizmente muitos alunos dependem do uniforme para ir à escola. Ainda mais neste frio. Se não estiverem bem agasalhados podem ter seu rendimento prejudicado."

Distribuídos - Diadema foi a primeira cidade a concluir a entrega de uniformes, em 15 de maio, para todos os 29 mil alunos da rede. O investimento foi de R$ 4 milhões.

A Prefeitura de São Caetano alega que no decorrer desta semana entregará os kits aos 18 mil alunos. Em março, as amostras de tecidos das empresas selecionadas foram analisadas em laboratório, que testou coloração, tipos de malha e resistência. A administração municipal afirma ainda que todos os alunos da rede estão uniformizados, porque as escolas costumam ter algumas peças em estoque para suprir necessidade de novos alunos, crianças que crescem ou acidentalmente danificam a roupa.

Crianças usam roupas emprestadas

Sem uniforme novo, os pais têm de improvisar para que as crianças vão para escola vestidas apropriadamente.

Segundo Alessandra Trovati, cujo filho estuda na Emeb Caetano de Campos, em São Bernardo, a roupa usada pela filha ainda é o mesmo do ano passado. Carla Cristina Soares Bento afirma que sua filha, que entrou na mesma escola neste ano, só recebeu parte do uniforme. "Me deram apenas uma jaqueta e duas camisetas. Enquanto isso, as calças jeans dela estão se acabando."

O filho de Cristiane Gomes da Silva, que entrou neste ano na Emeb Professora Sylvia Marilena Fantacini Zanetti, em Jordanópolis, São Bernardo ganhou de um vizinho o kit usado neste ano.

Carla Amorin manda a filha para a escola sem uniforme. "Ela não recebeu porque entrou neste ano na escola. A diretora pediu seus números em fevereiro e quando vier o uniforme tudo vai estar diferente."

Em Santo André, Rony da Silva Spacca afirma que as preparações para os kits das filhas, que estudam na escola Tarsila do Amaral, já foram feitas, mas nada de previsão de entrega. "Tiraram as medidas das minhas filhas há duas semanas, mas informaram que os uniformes só virão no segundo semestre."

Pela falta de previsão no fornecimento dos agasalhos, alguns pais resolveram mandar fazê-los por conta própria. "Gastei cerca de R$ 150 para comprar novos uniformes para os meus filhos", conta Andréia Degrande, mãe de alunos da escola andreense Demercindo da Costa Brandão.

Nenhum comentário: