15 de mai de 2009

Crise afeta projetos de novos shoppings na região

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

A crise financeira internacional está fazendo com que grandes redes do varejo se tornem mais cautelosas em seus investimentos, o que afetou projetos de novos shoppings no Grande ABC.

O Praça da Moça, de Diadema, que já tinha obras em andamento quando as turbulências vieram à tona, será inaugurado será no fim deste mês - o intuito era abrir ao público em abril -, mas terá de início baixa ocupação.

Algumas lojas âncoras só devem finalizar suas instalações no local em setembro. "C&A e Riachuelo pediram para inaugurar mais tarde", afirmou o coordenador do empreendimento, Roberto Martins. Ele esclareceu que, apesar do atraso na chegada dessas grandes redes, há 100 lojas se instalando no espaço, entre as quais Marisa, Magazine Luiza, Ponto Frio, Besni, McDonald´s e Bob''s. "Não podíamos postergar mais", acrescentou. Deverão ser ao todo 150 pontos de venda, para os quais 130 estão com contratos assinados.

Apesar da crise, Martins mantém expectativa favorável. Ele citou que, quando o Mauá Plaza Shopping inaugurou, em maio de 2002, também tinha baixo percentual de lojas e, em novembro daquele ano, já estava lotado.

Outro projeto, da General Shopping, levará mais tempo para sair do papel. O plano consiste na construção de centro de compras no bairro Ferrazópolis, em São Bernardo. A empresa informou que alterou o prazo de entrega, de 2010 para 2011, e que isso se deveu ao " atendimento das necessidades de alguns varejistas, que precisam de um prazo maior para a abertura de suas lojas" e também ao processo de aprovação da documentação.

PRAZO CERTO - Além de receber novos shoppings, a região também deverá ver a revitalização do Golden Shopping. Recentemente, o grupo inglês Squarestone anunciou a compra do centro de compras de São Bernardo, e divulgou que a atual área construída de 10 mil m² será sobreposta por uma estrutura de 30 mil m², que abrigará 193 lojas.

O representante da Squarestone no Brasil, Claudio Politi, afirmou que a crise não alterou o prazo de abertura, programado para fim de 2010, já que a perspectiva é de que haverá uma retomada da economia até lá. "Estamos dentro do timing (momento) certo", afirmou.

Um comentário:

Anônimo disse...

Vai ser muito bom ver as primeiras lojas lucrando até o teto da loja enquanto as outras não acordam...

A crise pode ter se extendido, mas o poder de compra ainda continua forte...