1 de jun de 2014

Governo federal aprova verba para seis corredores de ônibus


Claudinei Plaza/DGABCO Consórcio Intermunicipal divulga amanhã que recebeu aval do Ministério das Cidades para dar andamento a seis projetos de Mobilidade Urbana do pacote de investimentos requisitado há 14 meses à ministra do Planejamento e Orçamento, Miriam Belchior (PT). Todas as intervenções são de construções de corredores de ônibus nas sete cidades da região, totalizando investimento estimado de R$ 793 milhões de recursos do OGU (Orçamento-Geral da União) e de financiamento junto ao governo federal.
As obras foram incluídas no PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) e, no início de maio, foram ratificadas pelo Ministério das Cidades como empreendimentos selecionados pela União para serem executados.
O investimento nos corredores estão inseridos na promessa feita pela presidente Dilma Rousseff (PT) em destinar aporte de R$ 2,1 bilhões ao Grande ABC em empreendimentos essencialmente viários e habitacionais. O pacote de benesses foi anunciado em agosto pela chefe da Nação e terá primeiros sinais de chegar à região somente quase dez meses depois.
O bloco original de obras viárias apresentado pelo Consórcio Intermunicipal em abril de 2013 para Miriam continha 157 intervenções ao custo total de R$ 7,8 bilhões. A verba chancelada pelo governo federal corresponde a 10,2% do solicitado pelos prefeitos.
Diretamente pelo colegiado de prefeitos foi autorizada a elaboração de projetos para para o denominado plano de investimentos em infraestrutura para mobilidade do Grande ABC. Somente a etapa burocrática custará R$ 5,2 milhões aos cofres da instituição regional.
A lista de obras que será apresentada amanhã compreende os seguintes corredores de ônibus: Guido Aliberti/Lauro Gomes/Taióca (que passará por Santo André, São Bernardo e São Caetano) – custo estimado de R$ 162,5 milhões; Sudeste (Santo André, São Caetano, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) – valor projetado de R$ 137,8 milhões; Leste-Oeste (Diadema e São Bernardo) – custo avaliado de R$ 181,2 milhões; Alvarenga/Robert Kennedy/Couros (Diadema e São Bernardo) – investimento demandado de R$ 306,3 milhões.
Para a parte física das obras apenas algumas etapas foram incluídas na lista de recursos do PAC. No corredor Alvarenga/Robert Kennedy/Couros, somente as intervenções em Diadema foram liberadas. No Sudeste, apenas planejamentos de Mauá e Rio Grande da Serra foram autorizados. Já as trilhas exclusivas de ônibus em São Bernardo serão iniciadas com obras preparatórias em avenidas marginais do Ribeirão dos Couros.
fonte: Raphael Rocha - Diário do Grande ABC


Nenhum comentário: