27 de jun de 2013

Em Diadema INSS se destaca pela eficiência

Divulgação
O atendimento é o destaque na agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) de Diadema. A maioria dos usuários no município, que agendaram horário pelo telefone 132, recebeu o atendimento na hora marcada. Quem não se antecipou, esperou em média 20 minutos após retirar a senha e passar pela triagem.
 A equipe do Diário permaneceu por algumas horas no local. Constatou que os atendentes estão bem treinados. Eles solucionaram os problemas iniciais das pessoas em menos de cinco minutos. Quando faltavam documentos para dar andamento no processo, entregavam lista impresa do que era necessário. Em casos de dúvidas, esclareceram de imediato.
 Esse não era o cenário visto nas agências de Santo André, São Bernardo e São Caetano. Agendamentos por telefone não eram sinônimos de atendimentos no horário marcado. E a maioria dos usuários estava insatisfeita por aguardar mais de uma hora para receber informações.
BOM
 Dispensada do serviço há algumas semanas, uma empregada doméstica, que preferiu não se identificar, buscou amparo na Previdência. Na fila da agência do INSS de Diadema, ela revelou que gostaria de informações sobre o salário-maternidade. Em 15 minutos, a mulher  recebeu atendimento. “Pensei que ficaria aqui o dia inteiro, mas foi mais rápido do que eu imaginava. Em pouco tempo fui chamada. Vou conseguir aproveitar o resto do meu dia”, comemorou.
 Na sala de espera, não havia pessoas em pé. Todas aguardavam atendimento acomodadas nos assentos, que estavam conservados. A equipe do Diário conversou com um trabalhador na porta da agência. Seu objetivo era receber o direito a um auxílio acidente. Tinha passado por perícia médica e elogiou o serviço prestado no local. “Essa agência é boa. Eu realmente fui atendido no horário que marquei (pelo telefone)”, contou.
ESCLARECIMENTO
 A gerente executiva responsável pelas agências da Previdência de Diadema e de São Bernardo, Marina Reiko Iwai, destacou a importância do telefone para diminuir o tempo de espera. “O ideal seria que todos os cidadãos tivessem os seus serviços agendados com dia e hora marcados.”
 Segundo a funcionária pública, como o agendamento não é uma obrigação, o órgão está incapacitado de evitar alguma demora. “O tempo de espera depende do quantitativo de pessoas”, destacou Marina.
 Este foi o caso de um segurado que não agendou, pelo telefone, a sua perícia. “Estou aqui há mais de uma hora, não sabia que era necessário marcar algo pelo telefone”, lamentou.
 Marina também justificou os dias com maior período de espera com a situação da infraestrutura de informática do INSS. “Os sistemas nem sempre estão funcionando adequadamente, como ocorre nos bancos, e algumas vezes pode ultrapassar o tempo de uma hora (para voltar à normalidade)”, revelou.
ESTRUTURA
 O local apresenta estrutura com algumas qualidades não identificadas em outras agências da região. Mas também comete deslizes em alguns pontos.
 Conforme a equipe do Diário constatou, dispõe de rampas de acessibilidade e bebedouro baixo para o uso de pessoas com mobilidade reduzida, item não presente em outras agências. Há banheiros para uso exclusivo de deficientes físicos e quatro cadeiras de rodas, também para idosos. A sala de atendimento estava bem mais conservada do que as suas pares de Santo André, São Bernardo e São Caetano.
 Por outro lado, o banheiro da agência tinha dois problemas. Os vasos sanitários estavam sem o assento. E não havia papel ou aparelho de ar quente para secar as mãos.
 A gerente executiva declarou que os objetos de higiene são repostos, porém muitas vezes são alvos de furto. “Não temos como revistar as pessoas nas saídas da agência. Mas sempre os itens são repostos.” 
fonte: Yara Ferraz - DGABC

Nenhum comentário: