23 de mai de 2009

Reali termina planejamento e quer equipe integrada

Por: Karen Marchetti (karen@abcdmaior.com.br 


Prefeito de Diadema fala sobre seus planos para administrar a cidade


Há cinco meses à frente da Prefeitura de Diadema, Mário Reali (PT) e sua equipe organizam o planejamento de governo para os próximos anos. De acordo com o petista, o objetivo é integrar a equipe com o projeto de governo e implementar ações no município que envolvam diversas áreas. Reali afirma, em entrevista exclusiva ao ABCD MAIOR, que a intenção é promover um trabalho conjunto onde diferentes pastas possam atuar ao mesmo tempo em benefício da cidade e da população. Confira, a seguir, a entrevista na íntegra:

É ABCD MAIOR - O sr. sempre destacou que o planejamento de governo é importante e será priorizado no mandato. Como está este processo?

MÁRIO REALI – No início, o planejamento se resumiu à integração da equipe e pactuação das prioridades. Muita gente acha que o planejamento é sentar e sair com um projeto fechado e executar. Mas não é bem isso. O planejamento é uma dinâmica de governo, pois cada secretaria acredita que a sua área é a prioridade. O planejamento é explicar que a prioridade é a política de governo. Depois deste processo de entendimento, começamos a priorizar programas e projetos que trabalham inter-secretarias. Uma ação que integra diversas pastas em um único projeto que passa a ser uma ação de governo. Essa é a concepção do planejamento.

ABCD MAIOR – A Administração já definiu quais serão as prioridades?

REALI – Tem coisas que são importantes na Administração, como investir fortemente na Educação. Saúde já é prioridade das administrações passadas e continua sendo. A Prefeitura começará a trabalhar em projetos e ações que unem políticas de saúde, esporte, lazer e cultura. Vamos mudar a concepção da população no sentido de investir em ações de prevenção. Por exemplo, prevenção não é de responsabilidade apenas da Saúde, mas também do Esporte e Segurança Alimentar e Habitação. Vamos investir na qualidade de vida da população. Os equipamentos esportivos podem ser um espaço de serviço de saúde. O planejamento é importante para interação da equipe para conhecer o trabalho de cada área e saber como cada secretaria pode contribuir para uma política integrada.

ABCD MAIOR – Mas o sr. já definiu quais serão as ações?

REALI – Temos muitas ações. Uma por exemplo é o projeto Parque Escola, que será feito no Parque Botânico, no Inamar, onde funciona o Borboletário. Atualmente, a Secretaria de Meio Ambiente se instala neste espaço público, mas a ideia é que o local seja exclusivo ao projeto que será voltado à educação ambiental. Para isso, as secretarias de Meio Ambiente e Educação trabalharão integradas. São programas que precisam ser pensados e planejados agora, pois terão outros desdobramentos. Tem muita lição de casa para todas as secretarias. Estou aprendendo isso com o meu filho mais novo. A gente faz os “combinados”. O planejamento é fazer os combinados: cada um faz a sua parte e depois une tudo. O resultado será o projeto do governo.

ABCD MAIOR – Mas já está definido qual será o projeto do seu governo?

REALI – São várias ações. Não terá uma específica. Queremos uma cidade saudável. O conceito de esporte, lazer, cultura, educação, saúde e segurança alimentar. Vou dar um exemplo de cidade saudável. O programa habitacional Tá Bonito tem de ser um programa que a Saúde incorpore, pois o arquiteto do projeto precisa saber que a janela no lugar correto pode ajudar no tratamento de um paciente que tenha problemas respiratórios.

ABCD MAIOR – Os recursos previstos para 2009 já foram definidos pelo prefeito anterior (José de Filippi Jr./ PT). O senhor acredita que essas ações serão implementadas neste ano?

REALI – Para 2009 precisamos fazer alguns ajustes no orçamento, basicamente nos custeios, pois os investimentos estão todos definidos. Temos poucas coisas para acertar. Temos uma margem de 15% de remanejamento, mas precisamos ter cautela, pois estamos sentindo o impacto da crise econômica mundial agora. Espero que a receita seja o que foi previsto (R$ 624 milhões) para 2009 ou o mais próxima disso. Mas vamos começar alguns projetos que integram as secretarias e projetos para melhorar a qualidade dos espaços urbanos.

ABCD MAIOR – O sr. acredita que o primeiro ano da gestão fica prejudicado pela falta de flexibilidade no orçamento?

REALI – Não. Temos muitas ações em fase de andamento ou em conclusão. No sábado vamos entregar o campo do Inamar, uma reivindicação antiga da população. Já inaugurei algumas obras, como a ampliação da UBS (Unidade Básica de Saúde) Nova Conquista. Fora a interface com a iniciativa privada, como por exemplo, o Shopping Praça da Moça e junção de empresas, estou dando continuidade a projetos e obras que estavam em andamento. Não posso começar grandes obras com o orçamento em queda. Nenhum prefeito tem feito isso. As obras do PAC estão a todo vapor.

ABCD MAIOR – O líder do governo na Câmara, vereador Laércio Soares (PC do B) disse que a Administração está distante da Câmara e o motivo seria o processo de planejamento. O senhor concorda?

REALI – Não. Inclusive conversei com os vereadores para explicar o processo de planejamento e deixá-los informados dos resultados. Em Diadema, no primeiro mandato do Filippi (José de Filippi Jr., do PT, prefeito de Diadema entre 1993 e 1996 e 2001 e 2008) fizemos um planejamento bem extenso. E foi bom para o governo.

ABCD MAIOR – O sr. citou a Educação como uma das prioridades. Municipalizar as quatro escolas estaduais foi uma das mudanças para melhorar e investir nesta área?

REALI – Durante a campanha, sempre falei que iríamos aumentar o atendimento de ensino fundamental. E aumentar o ensino fundamental em Diadema, onde tem poucas áreas disponíveis para novas construções, seria muito difícil. Agora vamos trabalhar para melhorar o ensino dessas quatro escolas. Neste momento seria prematuro dizer se iremos municipalizar outras. No final do ano, entre outubro e novembro, teremos uma definição.

ABCD MAIOR – Mas no município tem áreas disponíveis para construir creches, que estão previstas no plano de governo. Isso também ajudará a diminuir o déficit de vagas?

REALI – Estamos com um projeto de construir seis novas creches, e temos dificuldades de conseguir terreno. Em 2010, vamos inaugurar três. Já temos os locais: Sanko, Portinari e Campanário. Todos em terrenos públicos. Essas três creches já estão no cronograma de contratação. Vamos inclusive assinar um termo de responsabilidade com o MP (Ministério Público) com o compromisso de construção de novas creches.

Nenhum comentário: