24 de mai de 2009

Quarteirão da Saúde completa um ano

O Quarteirão da Saúde de Diadema completa na terça-feira um ano e supera as estimativas de atendimentos, com a realização de 14 mil consultas e exames por mês. Quando o complexo começou a funcionar, eram previstas 13 mil consultas e exames.

O projeto que foi marco da gestão do prefeito José de Filippi Júnior (PT), oferece à população 26 especialidades clínicas de média complexidade, como consultas nas áreas de cardiologia, ultrassonografia, ortopedia e endoscopia entre outras. Não há previsão do aumento de especialidades, mas, sim, a otimização do atendimento, aperfeiçoando a capacitação dos médicos das cerca de 19 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) para que saibam quando mandar o paciente para o Quarteirão.

No balanço do primeiro ano, a secretária de Saúde, Maria Aparecida Linhares Pimenta, avalia que houve diminuição nas filas para a realização de cirurgias de média complexidade, mas salienta que ainda é necessário aumentar a eficácia para reduzir cada vez mais as filas, unindo agilidade e qualidade ao atendimento. "Só nas UBSs há cadastrados 354 mil usuários, cerca de 88% da população. Por isso, é importante diminuir o tempo de espera", disse Maria Aparecida.

Uma Central de Regulação Municipal comanda a classificação dos casos de acordo com menor e maior gravidade. "Nosso propósito é ter cada fila de atendimento controlada, de acordo com o risco", explicou a secretária. A central também estipula como os médicos das unidades dos bairros devem proceder após o diagnóstico do paciente - como direcioná-lo corretamente ao Quarteirão.

No local, oftalmologistas, fisioterapeutas e outros profissionais são contratados por meio de convênios firmados com a Santa Casa da cidade e o Instituto Paulista de Pesquisa em Oftalmologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

O complexo possui pouco mais de 20 mil metros quadrados e quatro pisos para atendimentos de Ambulatório, Centro Especializado Odontológico, Laboratório Municipal, Centro Cirúrgico, Pronto-Socorro e Serviços de Apoio de Diagnóstico.

Por enquanto, não há previsão de modificações prediais no Quarteirão. A secretária Maria Aparecida observa, no entanto que, caso o centro cirúrgico passe a operar 24h, será necessário aumentar o espaço de recuperação.

Juntos, governo federal e a Prefeitura de Diadema investiram cerca de R$ 70 milhões, sendo R$ 50 milhões em obras, R$ 15 milhões em equipamentos e R$ 5 milhões em desapropriações e urbanização.

De junho de 2008 a março deste ano, foram registrados 451.872 procedimentos no Quarteirão da Saúde, sendo que as consultas médicas de urgência e emergência lideram - foram 189.127 registros desse tipo. Em seguida vêm os atendimentos de fisioterapia, com 125.016, e 50.687 consultas médicas ambulatoriais.

Nesse período, mais de 700 cirurgias foram feitas em especialidades como vascular e odontológica.

O quadro de funcionários da Prefeitura que trabalham no megacomplexo é de atualmente 609 profissionais, entre eles 225 enfermeiros, 132 médicos, 31 técnicos e 17 dentistas. Isso sem contar as equipes que fazem parte dos convênios firmados.

Entre os departamentos está um destinado à saúde da Mulher, onde são realizados exames de mamografia, ultrassonografia, colposcopia e também acompanhamento de pré-natal de risco. "Essa é uma área que conta com grande demanda junto com o de realizações de exames de imagens", explicou a diretora técnica Regina Athiê.

Para atender à demanda de exames laboratoriais, houve a troca de equipamento bioquímico. A demanda do setor passou de 400 para 1.200 testes por hora no primeiro ano de funcionamento do Quarteirão da Saúde.

Kelly Zucatelli
Do Diário do Grande ABC

2 comentários:

MESK disse...

Muito bonito!
Porém qquando vamos poder realizar exames simples como um "raio- X" de emergência .
Ou seja, se você não está morrendo não precisa saber porque adoece.
Um exame que demora cerca de 9 meses para ser agendado porque seu caso não é "grave" é uma falta de respeito com os cidadãos. O prédio é lindo mas, quando a agilidade e eficácia dos atendimentos que principalmente no PS são realizadas de forma grosseira e mal educada sairão do papel?
O prédio é lindo falta todo o resto

Anônimo disse...

Temos que diferenciar o Quarteirão Ambulatório, onde foi feito todo o investimento eleitoreiro do Pronto Socorro, onde não investiram NADA, faltam médicos, enfermeiros, leitos, segurança, qualidade! Os pacientes ficam pelos corredores nas macas, porque não existe espaço, nem leitos suficientes, pacientes psiquiátricos amarrados e gritando, próximos aos outros doentes, parece um circo de horrores, médicos que mal sabem explicar o que os pacientes têm. E ainda mandam a gente embora quando acham que o que temos não é grave!!!
Muito bom mesmo!