26 de mai de 2009

Diadema anuncia retomada de obras do Conjunto Yamberê

Secretário prevê conclusão de todo o projeto para abril do próximo ano

O secretário de Habitação de Diadema, Márcio Vale, reuniu a população do Jardim Yamberê na manhã desta terça-feira (26/05) para anunciar a retomada da construção das moradias populares no local. Com aproximadamente seis meses de atraso, o prédio com 12 moradias estava parado por conta de problemas na “gestão financeira”, de acordo com o secretário.

“Houve falha durante a apresentação da metragem da construção para a Caixa Econômica”, explicou. Valle anunciou que o prédio estará acabado até junho e que as famílias poderão ocupar os apartamentos. A Prefeitura não informou quantos conjutos habitacionais estão em andamento na cidade nem o valor das obras, assim como o número total de pessoas que serão beneficiadas.

A obra faz parte do projeto Conjunto Yamberê, com 120 moradias que estão sendo construídas em quatro fases desde 2004. As etapas anteriores já foram finalizadas e entregue às famílias. De acordo com o secretário, falhas na prestação de contas junto à Caixa impossibilitaram o repasse do financiamento durante alguns meses. “As últimas medições foram fechadas esta semana. Está tudo regularizado e as obras vão continuar”, garantiu.

De acordo com o secretário, falta agora iniciar mais dois prédios, um com 24 unidades, com previsão de entrega até o final do ano, e outro com 32, que deve ser finalizado até abril do próximo ano. Atualmente, as famílias que aguardam a conclusão dos trabalhos vivem em casebres de madeira.

Valle ressaltou que a entrega do prédio para as 12 famílias vai acelerar o processo do imóvel maior, com previsão de entrega para o fim do ano. Isso porque o espaço onde as famílias estão cederá lugar ao canteiro de obras da próxima etapa do projeto de moradias. Além disso, até abril do próximo ano mais um projeto com 32 moradias será entregue, segundo as expectativas de Vale.

Ao todo, o município conta com aproximadamente R$ 1,3 milhões para dar andamento ao projeto. A maior parte da verba vem dos cofres federais, com contrapartida do governo municipal. Durante a plenária com a população, Valle assegurou que pretende evitar novos atrasos nas obras. “Mas caso alguma coisa aconteça, vou explicar os motivos a todos."

Histórico - A Prefeitura investiu R$ 395 mil na compra do terreno para a construção do conjunto, que é formado de casas sobrepostas com 46 m², a um custo médio de R$ 30 mil. A primeira etapa de construção do complexo habitacional aconteceu em 2004, com 12 e 24 unidades, respectivamente. Na época, foram gastos R$ 1,1 milhão, custeados pelo tesouro municipal.

Foram construídas outras 12 moradias em 2007 e investidos R$ 1,895 milhões, da Prefeitura e do Governo Federal. Nesta terceira fase, estão em construção doze unidades e serão licitadas mais 24. A última etapa corresponde à construção de mais 36 casas sobrepostas, o que será possível com recursos do Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social.

Jornal ABCD Maior

Nenhum comentário: