25 de mar de 2009

Marinho e Reali vistoriam divisa de municípios

Os prefeitos de São Bernardo, Luiz Marinho, e de Diadema, Mário Reali, fizeram vistoria nesta quarta-feira (25) em seis pontos de divisa entre os dois municípios que deverão receber melhorias por meio de intervenções conjuntas. A iniciativa partiu da necessidade de ações integradas nas áreas de habitação, urbanismo e meio ambiente nesses locais.

A vistoria, que contou com a presença de técnicos e secretários de Obras, Habitação, Serviços Urbanos e Meio Ambiente das duas cidades, teve início nas obras do piscinão do Taboão, na rua Polônia com avenida Almiro Senna Ramos, que está sendo construído pelo governo do Estado. Em seguida, o grupo visitou o trecho do córrego Taboão, que será canalizado e deverá receber intervenções paisagística e urbanística por meio de projeto conjunto entre as prefeituras. As obras deverão resolver o problema de enchentes na região dos bairros Taboão e Paulicéia e também no km 13 da via Anchieta.

Outro trecho vistoriado foi o córrego Canhema, que já possui projeto de canalização avaliado em cerca R$ 3 milhões e que deverá ser realizado com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A favela Naval também foi visitada pelos prefeitos. A área, que já teve algumas famílias removidas do lado de Diadema, também terá mais de 200 famílias removidas pela Secretaria de Habitação de São Bernardo. O local está dentro do programa de urbanização, regularização e integração de áreas degradadas, financiado pelo Orçamento Geral da União.

O grupo vistoriou, ainda, o Ribeirão dos Couros, que também já possui projeto de canalização. A ideia é fazer uma intervenção viária na divisa dos bairros Casagrande e Alves Dias com a construção de uma ponte sobre o córrego, ligando os dois municípios.
A área do antigo lixão do Alvarenga foi a última a ser vistoriada. Os prefeitos conversaram com alguns moradores que pediram melhorias para o local, e aproveitaram para explicar a determinação do Ministério Público para que ambas prefeituras façam o tratamento de descontaminação e a recuperação ambiental da área, além da desocupação do local. Na parte pertencente a São Bernardo, mais de 100 famílias deverão ser removidas e incluídas nos projetos habitacionais da Prefeitura.

Segundo o prefeito de São Bernardo, para que o problema seja mais facilmente resolvido, é necessário que a Assembléia Legislativa aprove o quanto antes a Lei Específica da Billings, não só para resolver a desocupação desordenada nas áreas de proteção ambiental, como também para a melhoria das condições habitacionais da população em alguns desses locais.

REPORTER DIÁRIO

Nenhum comentário: