7 de fev de 2009

Em Plena crise mundial Diadema aprova 13º salário de vereadores

A crise financeira mundial e a turbulência enfrentada pela Prefeitura de Diadema por conta de um sequestro de receita de R$ 10,2 milhões para o pagamento de precatórios não inibiram os vereadores da cidade na aprovação, nesta quinta-feira (05/02), de um projeto que autoriza o pagamento do 13º salário para eles mesmos. A matéria ainda precisa ser aprovada em segunda discussão para começar a valer.

O salário de um vereador na cidade é de R$ 7.480. Com o pagamento do 13º, que de acordo com o projeto será pago em duas parcelas (julho e dezembro) aos 17 parlamentares, serão acrescentados R$ 127.160 à folha de pagamento.

No ano passado, os parlamentares enfrentaram a Prefeitura para aumentar o valor do repasse anual ao Legislativo e conseguiram. A Administração queria disponibilizar cerca de R$ 15 milhões, mas foi aprovado o orçamento previsto em R$ 17,5 milhões. De acordo com o líder o governo na Casa, vereador Laércio Soares (PC do B), o 13º salário já está previsto no fundo anual.

O prefeito Mário Reali (PT), que compareceu à primeira sessão para anunciar Soares como o líder do governo, falou que tem duas opiniões sobre o 13º salário. Como gestor público, acredita que não é o momento para aumentar gastos, mas reduzir os custos. Porém, como cidadão, defende o pagamento do benefício aos trabalhadores.

O prefeito afirmou que não pretende aumentar o valor do repasse anual. “Este é momento para cortar gastos e investir em infraestrutura, por isso não é o momento ideal para incluir este beneficio”, opinou Reali.

Porém, Soares explicou que a Câmara pagava abono salarial, que equivaleria ao 13º salário, mas o Ministério Público interpreta o pagamento como injusto, pois o parágrafo 4º, do artigo 39 da Constituição Federal, diz que "o membro de Poder, detentor de mandato eletivo será remunerado exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória."

“Deixamos de receber há três anos o 13º porque o Tribunal de Contas achava que era errado receber. Estamos recorrendo a um pedido de devolução do abano. Agora estamos votando na regulamentação do beneficio de todo trabalhador”, opinou Soares.

O presidente da Casa, Manoel Eduardo Marinho (PT), o Maninho, compartilha da mesma opinião e afirmou que está oficializando o pagamento de um benefício que todo trabalhador tem direito. “Não tenho medo de debater este assunto. O pagamento do 13º é legal e a Constituição permite. Estamos colocando às claras para a população saber que nós recebemos e que a Justiça permite”, concluiu Maninho.

Karen Marchetti (JORNAL ABCD MAIOR)

OPINIÃO:
HOJE VAMOS FUGIR UM POUCO DO ENFOQUE DO NOSSO BLOG, POIS O QUE ACONTECEU EM NOSSO MUNICÍPIO NO INÍCIO DESTE ANO COM A APROVAÇÃO  DO 13º SALÁRIO  PELOS VEREADORES ,FOI UM ABSURDO, DISSOCIADOS DA REALIDADE MUNDIAL, ISSO SEM CONTAR COM AS DIFICULDADES QUE O MUNICÍPIO ATRAVESSA COM PRECATÓRIOS E OUTROS PROBLEMAS QUE NÃO SÃO POUCOS TAIS COMO SANED E ETCD.

EDU CIA  7/2/2009

3 comentários:

Anônimo disse...

Nossa, até que enfim vc postou algo que mostra a verdadeira REALIDADE de Diadema. As coisas não estão tão bem quanto seus olhos querem ver. Isso ainda é pouco pelo descaso que essa cidade anda. Vamos fazer 50 anos esse ano e com o que a Prefeitura vai nos presentar. Pare e pense, acho melhor vc mudar o enfoque deste blog, quem sabe assim o cidadão diademense não abre o olho e deixe de viver no "pais das maravilhas"

EDU CIA disse...

Anônimo, não adianta só escrever e não se identificar,se indentifique sai do anonimato.

Anônimo disse...

Realmente é revoltante, mas também não vamos menosprezar os investimentos privados que é o que a cidade tem de melhor.

Agora, que falta de compromisso com a sociedade heim? Anote bem o nome de todos esses políticos, devo esclarecer que o benefício foi aprovado por UNANIMIDADE.

Cobras velhas que não querem largar o osso e falsos pastores que manipulam a cabeça dos cidadãos, além dos mau caráter que são predominentes na casa, é revoltante uma decisão dessas em plena época de crise, é de uma irresponsabilidade tremenda.

Parabéns Eduardo por mostrar a verdadeira face da política na nossa cidade, infelizmente o lado podre se manifesta nas mãos dessas péssimas pessoas.