9 de ago de 2012

IPT financia pesquisas de empresas de cosméticos


Empresas de Diadema e do Grande ABC da área de cosméticos que queiram realizar P&D (pesquisa e desenvolvimento) buscando a inovação tecnológica e a competitividade contam agora com acesso a recursos de baixíssimo custo. O Itehpec (Instituto de Tecnologia e Estudos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) assinou protocolo de intenções para cooperação técnico-científica com o IPT (Instituto de PesquisasTecnológicas), visando à realização de projetos com financiamentos em até 90% a fundo perdido.
A parceria válida por dois anos conta ainda com a participação do governo federal, por meio da Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), que junto com o IPT, garantirá os recursos.
Os projetos apresentados devem envolver linhas de pesquisas nas áreas de Microtecnologia e Metrologia 3D, Nanotecnologia e Biotecnologia e podem ser desenvolvidos individualmente ou coletivamente entre empresas. "A vantagem desse modelo de P&D é a agilidade no processo de contratação dos projetos, que poderão ser de qualquer porte" afirma Marina Kobayashi coordenadora de ações do Itehpec.
A oportunidade em realizar projetos dessa envergadura poderá garantir as mais as empresas da cadeia do cosmético em Diadema, hoje em torno de 60 indústrias, o lançamento de novos produtos e viabilização de negócios futuros. Na Região do ABCD estão concentradas 10% dos fabricantes de produtos de beleza e higiene pessoal do Brasil e a realização e o desenvolvimento de mais pesquisas na área proporcionará a abertura de novos mercados dentro e fora do País.
Novas oportunidades
Para o diretor da Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), Manoel Teixeira Simões, a área de nanotecnologia apresenta grandes oportunidades de negócios, principalmente, porque o mercado brasileiro de protetor solar é um dos maiores do mundo e ainda tem espaço para crescimento. "Empresas nacionais estão desenvolvendo diversos projetos de P&D nessa área e as multinacionais estão trazendo para o Brasil centros de pesquisas. Quem ficar parado irá perder mercado", alerta Simões.
Segundo dados divulgados pelo Instituto Euromonitor, o Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking mundial dos mercados consumidores de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, atrás somente dos Estados Unidos e do Japão. As empresas do segmento faturaram no País, em 2011, US$ 43 bilhões, um crescimento de 18,9% em relação a 2010. O levantamento mostrou, ainda, que entre as macrocategorias o Brasil é o primeiro colocado no consumo de desodorantes e o vice-líder em produtos infantis, higiene oral, produtos masculinos e produtos para cabelo/banho.
O Itehpec é um braço da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos e tem como missão atender a demanda do setor em questões de inovação e tecnologia. Entre suas ações, o Instituto tem patrocinado os Encontros Internacionais de Nanotecnologia em Cosméticos e o Projeto de Nanometrologia da Agenda Tecnológica Setorial da Abdi (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), em parceria com o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Mais informações sobre como participar dos projetos de P&D do Itehpec no telefone 3372-9899.
fonte: 

Leone Farias 
do Diário do Grande ABC

Nenhum comentário: