18 de mai de 2011

Lançamento de imóveis cai 27% no Grande ABC


O mercado imobiliário na região começou o ano com retração. O número de empreendimentos lançados no Grande ABC caiu 27,4% no primeiro trimestre em comparação com os três primeiros meses de 2010. O balanço do mercado imobiliário realizado pela Acigabc (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC) mostra que foram lançadas 1.589 unidades, contra 2.189, na mesma base de comparação.
O presidente da associação, Milton Bigucci, considera que o resultado já era previsto. "Como a nossa base do ano passado foi alta, o volume de lançamentos não ocorrerá na mesma proporção. Estamos crescendo, mas de forma sustentável e menor. O mercado está aquecido há cinco anos."
Ele destaca que em 2010 as construtoras colocaram no mercado imóveis que estavam previstos para anos anteriores (2008 e 2009), o que não ocorreu devido à crise financeira. "Quando a economia mundial se estabilizou os empresários lançaram todos os empreendimentos que estavam, até então, na gaveta. Por isso essa diferença."
PERFIL
Das 1.589 unidades colocadas no mercado entre janeiro e março, que somaram R$ 418,9 milhões, 66% têm dois dormitórios e 25% têm três quartos, representando 91% do total. O foco são imóveis na faixa de R$ 170 mil, pertencentes à faixa econômica. "A classe C é a fatia que deve ser abastecida nos próximos anos, já que concentra a maior parcela da população", explica o empresário.
No primeiro trimestre, o destaque foram as cidades de Diadema e São Caetano, com 435 unidades lançadas e 426, respectivamente. Diadema, assim como no ano passado, continua na mira das construtoras, uma vez que está bem localizada geograficamente e tem disponibilidade de terrenos. Bigucci conta que o município está em pleno desenvolvimento e isso atrai, principalmente, moradores da Capital.
Além da localização, outro atrativo que a região oferece é o preço do metro quadrado, de R$ 3.834 - valor 30% menor em relação à Capital (R$ 5.177). "Isso se reflete diretamente no valor do imóvel", completa o presidente da Acigabc.
O levantamento da associação é realizado em cinco cidades: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Mauá e Diadema. A justificativa é a concentração do mercado imobiliário nesses municípios, que representam 80% do mercado.
fonte: 

Tauana Marin 
Do Diário do Grande ABC

Um comentário:

Luiz disse...

Eu ñ entendi direito. O m² dos aptos em Diadema custa R$ 3.834? Se for isso então ta errado, ñ vi nenhum empreendimento tão caro aqui em Diadema!