9 de nov de 2009

Campanário: a história da urbanização

fonte: Leonardo Britos - BOM DIA ABCD

O bairro Campanário, em Diadema, como muitos outros da cidade, teve durante sua fundação uma história de muita mobilização dos moradores. Com a ocupação dos terrenos, no final dos anos 80, a população enfrentou muitas dificuldades para conquistar o direito de moradia e os recursos básicos para a comunidade.

Organizados em associações de moradores, a busca junto aos órgãos públicos por seus direitos foi constante e através da mobilização conseguiram asfalto, saneamento básico, energia elétrica e postos de saúde.

A urbanização do bairro também contou com a participação dos moradores que se organizavam para fazer mutirões de pavimentação e construção de casas.

Hoje, o bairro possui mais de 32 mil habitantes. Atualmente a associação de moradores exerce um trabalho dentro da comunidade como uma ponte de comunicação entre a prefeitura e os moradores e realiza trabalhos culturais e educativos com as crianças e adolescentes do bairro.

Ainda hoje a associação consegue mobilizar a população, e cada luta do bairro é discutida entre os integrantes da comunidade.

A associação de moradores, fundada com o bairro, disponibiliza cursos, palestras e eventos culturais “Nós tentamos aproximar a comunidade. Desenvolvemos um trabalho preocupados com os moradores e buscamos junto à prefeitura melhorias para o nosso bairro” afirma Francisco Vicente Alves Filho, 41, atual presidente da associação de moradores, que mora há 20 anos no Campanário.

Fundadores destacam as melhorias sociais

Umas das fundadoras do bairro, Nalzira de Souza, 64 anos, diz que o Campanário sofreu grandes transformações e que não imaginava que o bairro estaria assim hoje.

“Antigamente nós não podíamos nem almoçar com a quantidade de ratos que existiam no bairro. Era lixo pra todo lado.”

Hoje, Nalzira comemora todas as transformações que o bairro recebeu “Nós conseguimos conquistar muitas coisas para o nosso bairro como asfalto, energia elétrica, saneamento básico e sempre contamos com a participação de boa parte de moradores.” diz.

O bairro é todo urbanizado e conta com uma infraestrutura de postos de saúde, escolas municipais e creches, que atendem moradores de outras regiões.

Comunidade comemora fim da violência

Diadema, que já foi considerada uma das cidades mais violentas de São Paulo, hoje vive dias mais tranquilos. No bairro do Campanário não poderia ser diferente.

A costureira Caetana Civirina de Jesus, 62 anos, lembra do início do bairro, quando a violência era uma grande preocupação dos moradores “Eu já andei por cima de uns três cadáveres quando saía para trabalhar.
"A violência aqui era muito grande, hoje vejo uma grande melhora na segurança do bairro” A costureira que já foi vítima da violência lembra do filho assassinado aos 19 anos. Os mais jovens percebem a diferença de hoje.

A estudante Daguimar Caroline de Araújo, 15 anos, diz que comparado com as histórias que seus pais contam, hoje o bairro vive dias tranquilos “Hoje eu posso sair pra rua a hora que eu quiser, eu não tenho mais medo.”

Corredor econômico liga 3 bairros

Os bairros Campanário e Taboão são divididos pela avenida Curió, na qual está o centro comercial da região que atende ainda o bairro Paineiras. No centro está localizado o grande comércio da região, mas os moradores ainda sentem falta de alguns serviços.

Na área está sendo construida uma agência bancaria e um hipermercado. Mas o comércio familiar ainda existe na região.
O comerciante Francisco Ferreira Costa, mantém seu comércio desde 1989 e relembra o início do bairro “Eu vendia por dia 1600 pães e 250 litros de leite.” Hoje, com a chegada de outros pontos comerciais o movimento de vendas caiu “Hoje eu só vendo para meus amigos” comenta Francisco Costa.

Nenhum comentário: