5 de out de 2008

Shoppings intensificam investimentos

domingo, 5 de outubro de 2008, 07:09

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC


O setor de shopping centers no Grande ABC está intensificando seus investimentos, que incluem projetos de novos empreendimentos - a serem inaugurados a partir de 2009 -, e ainda a ampliação e modernização de centros de compras já existentes. Esse impulso no segmento deve ocorrer mesmo com a crise financeira internacional, que traz incertezas às empresas e consumidores.

Contam a favor fatores como a economia aquecida (pelo menos até agora), o bom poder de consumo dos moradores da região (pouco explorado pelo segmento, em algumas áreas, como Diadema e parte de São Bernardo) e a valorização imobiliária, que contribuem para o fortalecimento da atividade.

A região deve ganhar pelo menos três grandes novos shoppings - em Diadema, o Shopping Praça da Moça, cujas obras devem ser concluídas em abril do ano que vem; outro que será erguido no bairro Ferrazópolis e deve ser inaugurado em 2010; e um terceiro, que deve sair do papel em São Caetano (ainda sem data divulgada de abertura), e que será parte do complexo comercial e residencial do Espaço Cerâmica.

Com quase 100% da estrutura já contratada (blocos, telhado e até elevadores e escadas rolantes), a obra do Shopping Praça da Moça (investimento estimado de R$ 150 milhões) segue em ritmo acelerado para atender o cronograma.

O coordenador do projeto, Roberto Martins, afirma que, como o setor de construção está muito aquecido, tem havido disputa por peças e serviços e há escassez de mão-de-obra qualificada, e tem sido necessária uma forte negociação com fornecedores e parceiros.

Mas o executivo se mostra confiante e não acredita que a turbulência nos EUA ameace a iniciativa. O espaço (serão 30 mil m² de área bruta locável) já tem definidas as lojas âncoras (nomes como Magazine Luiza, Lojas Marisa, Riachuelo, Americanas e C&A) e tem os recursos garantidos para sua conclusão. "Não somos tomadores de empréstimos e temos o aporte dos sócios - o maior deles é a Funcef (o fundo de pensão dos empregados da Caixa Econômica Federal) - separado", disse.



Outro empreendimento, a ser construído no bairro Ferrazópolis, em São Bernardo, (nesse caso, o valor do investimento não foi divulgado, apenas o do terreno, que soma R$ 44 milhões), terá inicialmente, cerca de 30 mil m² de área locável e será construído pela General Shopping.

O diretor de Relações com Investidores da companhia, Alessandro Veronezi, também demonstra confiança, em função do potencial de mercado. "Fizemos pesquisa e identificamos uma área de influência, em um raio de deslocamento de cinco quilômetros em linha reta em que não existe ou existe pouca concorrência", disse.

Nessa área, são mais de 500 mil habitantes, uma demanda qualificada para despesas de mais de R$ 150 milhões por mês, segundo o executivo.

O empreendimento está em fase de aprovação de documentos na Prefeitura e deve iniciar as obras em 2009. Veronezi afirma ainda que já estão acertadas âncoras, mas os nomes ainda são mantidos em sigilo, e assegura que o investimento está garantido. "A crise não nos influencia, já são investimentos planejados", disse.

Centros de compras desenvolvem planos de ampliação

Ao mesmo tempo em que há novos concorrentes chegando, empreendimentos já consagrados desenvolvem planos de expansão e modernização.

É o caso do Shopping Metrópole, localizado no Centro de São Bernardo. Mais antigo da região, com 28 anos de existência, o centro de compras inaugura no próximo dia 15 de novembro uma nova praça de alimentação, que é parte de uma revitalização que demandou R$ 8 milhões e incluiu mudanças de telhado, reformas de escadas e banheiros.

Segundo o superintendente, André Lupo, um dos objetivos foi a introdução de conceitos arquitetônicos mais modernos (como a colocação de clarabóias, decks e mesas diferenciadas). Mas, além disso, há planos de ampliação. "A praça é o primeiro passo, o segundo será o cinema (que será realocado em novo espaço a ser erguido, com o qual o shopping ganhará mais 3.400 m² de área)", disse Lupo.

Há ainda uma terceira etapa de expansão da área construída que está sendo analisada. O executivo afirma que as melhorias têm ocorrido, entre outros fatores, em função do potencial de mercado, devido à valorização imobiliária no entorno do shopping. Apenas um complexo residencial de uma construtora, nas proximidades, vai ter moradias para 1.800 famílias.

Além do Metrópole, os outros grandes centros de compras (Shopping ABC, ABC Plaza e Mauá Plaza) fazem reformas neste ano. No de Mauá, a otimização do Extra Hipermercados, que devolveu 4.000 m² de área, permitiu a ampliação da Casas Bahia e a abertura de uma Kalunga e de mais dez estabelecimentos.

No entanto, a idéia é desenvolver, de fato, um projeto de expansão em 2009. Segundo o gerente geral, Fernando Alvarez Rodriguez, a valorização de imóveis, em função do Rodoanel, faz com que isso seja uma necessidade, para atender bem o público

Nenhum comentário: