25 de ago de 2015

Prefeitura de Diadema realiza Cadastro Geral da Indústria


A Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Diadema deu início, no último dia 15, ao Cadastro Geral da Indústria, iniciativa que está sendo executada pela Universidade de São Caetano (USCS), vencedora da licitação e instituição com experiência em atividades do gênero. “Desde 1994 a cidade não faz atualização e não temos endereços, telefones, dados básicos sobre a maioria das 1.556 indústrias do município”, explicou o secretário Jorge Bialli.
Ao custo de R$ 338 mil, a USCS vai coletar dados como área de atuação, telefones, e-mails, número de funcionários e endereço atualizado. De acordo com Bialli,a atualização segue a orientação da Agência de Desenvolvimento Econômico do ABC e começou a ser discutida no final do ano passado. Além da atualização cadastral, o objetivo é estreitar o relacionamento com os empresários. “Muitas vezes, as empresas compram de outras cidades ou de outros Estados produtos feitos aqui perto da gente, porque o ABC é o terceiro polo industrial do Brasil”, justificou Bialli.
“A secretaria, juntamente com a ACE (Associação Comercial e Empresarial) Diadema e o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), está promovendo a integração entre os fabricantes. Estamos também pensando em um aplicativo, que mostre quais são as indústrias da cidade de forma fácil, tudo para aumentar as possibilidades de negócios”, completou. A previsão é de que o cadastro seja concluído em janeiro de 2016.
Em maio, a Prefeitura de São Bernardo lançou documento semelhante, também elaborado pela USCS. O cadastro traz dados de 1.241 empresas.
Cartilha
Outra iniciativa que está em curso pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Diadema é a criação da cartilha eletrônica do empreendedor. O material, que começou a ser desenvolvido, vai reunir todas as informações necessárias para que o empresário possa obter toda documentação e todas as autorizações necessárias para abrir o seu negócio.
“Muitas vezes recebemos pessoas que alugaram um galpão e investiram na reforma, mas na hora de apresentar a documentação descobrem que aquela atividade não pode ser desenvolvida no endereço escolhido. Temos também casos de licenças emitidas pela prefeitura e outras pelo governo estadual, então o objetivo é tirar as dúvidas antes de começar o processo”, detalhou o secretário. O material será publicado no site da prefeitura e deve esta pronto até o final do ano. A administração investiu R$ 6.910 no projeto.
fonte: Aline Melo - DIÁRIO REGIONAL

Nenhum comentário: