19 de nov de 2014

Diadema: 15ª melhor cidade para se viver




Em primeiro lugar no ranking da Delta, surpreendentemente, está Santos. A cidade do litoral de São Paulo teve o melhor resultado no total de pontos, com 56,16 pontos dos 77 possíveis (72,89% do total), teve o melhor resultado em educação, ficou em segundo lugar em saúde e em terceiro no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). A metodologia desenvolvida pela Dela para a elaboração do ranking tentou englobar a maior quantidade possível de indicadores para que o resultado fosse o mais próximo da realidade, como afirma a sócia da Delta, Cláudia Araújo. 

"O objetivo fundamental do BCI-100 é 'consolidar' diversas variáveis (atributos) da cidade em um índice que permita mensurar as diversas dimensões do processo de desenvolvimento socioeconômico da cidade e, claro, dos seus habitantes. O foco principal é, sem dúvida, avaliar as condições de vida local através de indicadores econômicos e sociais". Portanto, teoricamente, essa pesquisa é um retrato mais próximo da realidade que o da Firjan. "O ranking da Firjan analisa renda e emprego, saúde e educação; o ranking BCI-100 analisa dez 'dimensões': geral, governança, bem-estar, econômica, finanças, domicílio, saúde, educação, segurança e digital. Logo, nosso ranking é mais abrangente, incluindo outras variáveis que não foram analisadas pela Firjan", 



Foram analisadas 33 variáveis socioeconômicas e políticas em dez dimensões: geral, governança, bem-estar, econômico, financeiro, domicílio, saúde, educação, segurança e digital, que resultou em um total de 77 atributos. 

Jundiaí foi considerada a terceira melhor do País para se viver, com 71,47% dos pontos; Campinas aparece em quinto lugar, com 70,07%; e em 12º lugar temos Bauru, com 68,16%. Ainda no Estado de São Paulo, ficaram melhores colocadas quatro cidades do ABC (São Bernardo do Campo, 6º lugar; Mauá, 8º lugar; Santo André, 10º lugar; e Diadema, no 15º lugar). Também estão bem colocadas Mogi das Cruzes, 7º lugar, a capital paulista, em 16º lugar, e Guarujá, na 21ª posição.

fonte: DELTA ECONOMICS

Nenhum comentário: