9 de out de 2014

Norte-americana MSA escolhe Diadema para investir no Primeiro Centro de Treinamento da empresa

A escola está sendo construída em Diadema, na região do ABC Paulista, onde está localizada a fábrica brasileira da companhia, que tem operações nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina e está presente em 140 países. As atividades serão iniciadas em fevereiro de 2015

A MSA*, empresa sediada em Pittsburgh (EUA)  e líder global no desenvolvimento, fabricação e fornecimento de equipamentos de proteção individual e para instalações, escolheu o Brasil para erguer o seu primeiro Centro de Treinamento global de capacitação para trabalhos em altura, resgate, acesso em espaço confinado, acesso por corda, entre outras modalidades desse universo de segurança no ambiente profissional.
A unidade está sendo instalada em Diadema, na região do ABC paulista, onde está localizada a fábrica brasileira da companhia, que tem operações nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina, está presente em 140 países e emprega aproximadamente 5,3 mil pessoas.
"O Centro será uma referência no Brasil na área de treinamento e a ideia é replicar o conceito em várias partes do mundo", diz Silvia Pini, Gerente de Proteção Contra Quedas da MSA Brasil, acrescentando que a previsão é inaugurá-lo em fevereiro de 2015.

A decisão de investir neste primeiro Centro e a escolha do País para a sua implantação foi do próprio presidente da MSA, diz a executiva. " Ele sugeriu que os primeiros centros de treinamento da companhia fossem aqui no Brasil justamente porque  acreditamos no potencial deste mercado e desse negócio na região", afirma Silvia. A MSA tem registrado uma taxa de crescimento anual média de 15% nos últimos anos em suas operações brasileiras e tem metas audaciosas de expansão para os próximos cincos anos no País, que precisa avançar muito em qualificação e capacitação dos trabalhadores, como apontam os especialistas.

Segundo Silvia, que é engenheira civil, a MSA, como fabricante de equipamentos, também busca replicar seus conhecimentos em proteção individual com esse investimento em formação. "O plano é oferecer aos clientes -  empresas com seus planos de treinamento corporativo e profissionais liberais - uma solução completa contra acidentes com queda em altura, ir além da venda de equipamentos e agregando valor a isso. A proposta é oferecer um ambiente seguro com pessoas capacitadas, treinadas que possam replicar conhecimentos práticos e teóricos para trabalho em altura e confinamentos. Lembrando sempre que a MSA nasceu com o objetivo de evitar riscos aos trabalhadores. Queremos que eles voltem para casa, após um dia de trabalho, sãos e salvos. Essa iniciativa vai ao encontro dessa filosofia."

Cursos em módulos

O Centro de Treinamento da MSA, que comportará ao menos três turmas simultâneas, contará com salas para aulas teóricas e modernas instalações para os exercícios práticos, com simuladores que retratam ambientes reais de trabalho. Ele oferecerá, em módulos, desde cursos básicos, com oito horas de duração, até o mais completo, de 40 horas. "O curso de altura contemplará também treinos para resgate", afirma Silvia. A executiva acrescenta que novas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que tratam de equipamentos com cordas, utilizados por trabalhadores que pintam fachadas de edifícios, por exemplo, exigem que os profissionais sejam  extremamente qualificados no manuseio desses materiais.

"É um trabalho técnico de alto nível, os equipamentos têm que ser todos de primeira linha, e o Centro de Treinamento deve ter certificação ABENDI (Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção). A certificadora é que vai dar a chancela que esse trabalhador tem toda a qualificação teórica e prática para realizar esse tipo de atividade. E essa certificação, que ainda está em processo, será um dos diferenciais do Centro de Treinamento da MSA." Silvia explica que ser fabricante de equipamento de segurança será uma grande vantagem competitiva para a empresa nesse mercado de treinamento. "O nosso aluno terá condição também de conhecer o processo de produção do equipamento que ele usa, ver como são feitos os testes destrutivos destes materiais e toda segurança e qualidade que agrega."

A MSA tem uma história de 100 anos na produção de equipamentos de segurança inovadores, reconhecidos no mercado mundial pela qualidade e tecnologia que agregam. A empresa está no mercado de proteção contra quedas há apenas cincos anos, mas já se tornou referência no segmento. Segundo a executiva, no Brasil, esse é um mercado de pelo menos 5 milhões de usuários nos diversos segmentos e com diversidade muito grande de aplicações.  "Trata-se de um requisito normativo que esses usuários sejam treinados a cada dois anos", ressalta.

In company

Paralelamente aos cursos no Centro de Treinamento, o projeto da MSA Brasil envolve também cursos in company. "É muito importante essa extensão porque muitas empresas têm dificuldade para deslocar os funcionários à uma escola", observa Silvia, afirmando que a MSA também já está iniciando o trabalho de seleção e recrutamento dos melhores instrutores do mercado para formar o seu quadro de treinadores.

** Silvia Pini - É engenheira Civil com experiência de 10 anos na área de construção, planejamento e contratos na indústria da Construção Civil. Tem experiência na área de Segurança do Trabalho com ênfase na Proteção contra Quedas, na qual tem atuado nos últimos 16 anos, em treinamento, estudo de mercado, principalmente. Nos últimos 4 anos, também participa de um grupo de desenvolvimento global das necessidades de equipamentos , inovação e tecnologia para esse setor em diversos segmentos. Faz parte do Grupo da ABNT que discute e desenvolve Normas Técnicas para o setor de segurança e proteção.

*MSA - Fundada em 1914, a MSA Segurança Incorporated (NYSE: MSA) é líder global no desenvolvimento, fabricação e fornecimento de produtos de segurança que protegem  pessoas e infraestruturas de instalações.
Muitos produtos da companhia, sediada em Pittsburgh (EUA, integram uma combinação de eletrônica, sistemas mecânicos e materiais avançados para proteger os usuários contra situações de perigo ou de risco de vida. Sua linha completa é usada em todo o mundo e seus produtos atende às necessidades de trabalhadores de diversos setores, como o  de óleo, petróleo e gás, químico,  petroquímico, construção civil, automobilístico, mineração, além das forças militares, policiais e bombeiros.
Em  2013, sua  receita foi  de US $ 1,1 bilhão, sendo que mais de 4% foram investidos em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias.
A MSA emprega aproximadamente 5.300 pessoas, tem operações de fabricação nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina e está presente em 140 países. No Brasil, chegou em 1969, tem registrado crescimento médio de 15% ao ano e tem unidade em Diadema, região do ABC paulista.
FONTE: LUCIANA JUHAS - Segs

Nenhum comentário: