20 de nov de 2013

EMTU testa primeiro ônibus elétrico movido só por baterias


O governo de Estado, por meio da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) lançou na manhã de ontem (19) o Ebus, primeiro ônibus articulado do mundo movido totalmente por baterias. O veículo vai operar este mês no corredor de trólebus no trecho de Diadema até o Morumbi, em período de teste O Ebus será liberado para passageiros em janeiro de 2014.
O modelo foi desenvolvido em parceria entre a Mitsubishi Heavy Industries, Mitsubishi Corporation e a empresa brasileira Eletra. A tecnologia desenvolvida pelas empresas foi adaptada para um modelo articulado de fabricação brasileira. Com a bateria composta de íons de lítio recarregável, o ônibus possui zero de emissões de gases ou substâncias tóxicas.
“Temos uma energia limpa por meio da energia elétrica no Brasil porque nossa fonte é hidráulica. Então, podemos usar e abusar da energia elétrica. Temos essa facilidade que a natureza nos deu”, destacou o secretário Estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes. Para o secretário, a nova tecnologia pode eliminar o incômodo e o trabalho gerado pela fiação dos trólebus comuns, que não é ruim apenas esteticamente, mas limita a mobilidade do sistema.
Recarga rápida
A autonomia operacional é de 200km por dia com o sistema de recarga rápida. Com cerca de 5 minutos recarrega até 15% da bateria, que tem o tempo de vida de 10 anos. “Isso nos trará avanço e agilidade. Esperamos que dentro de um ano, se possível, nosso sistema aos poucos seja substituído para o uso das baterias”, pontuou Jurandir, que espera futuramente implementar o mesmo sistema no corredor Jacu Pêssego, em São Paulo.
É a primeira vez que um teste desse tipo é realizado em um ônibus articulado. O investimento até o momento partiu unicamente das empresas desenvolvedoras do projeto. Segundo as companhias, há capacidade para fabricação de até 40 novos ônibus do tipo a partir de 2014.
O trecho Diadema-Morumbi possui 11 quilômetros de extensão e ainda não conta com rede de fiação para trólebus elétricos convencionais. A operação do novo veículo foi planejada para permitir, ao longo do dia, quatro recargas rápidas com duração de quatro minutos cada. Na garagem o ônibus também receberá uma carga lenta com duração de até três horas.
O secretário aproveitou para anunciar que o edital da linha 18 Bronze do metrô está passando por ajustes em Brasília, para ser aberto até o fim do mês.
fonte: Luana Arrais - DIÁRIO REGIONAL

Nenhum comentário: