25 de nov de 2013

Diadema gastará R$ 232 milhões em obras viárias

Orlando Filho/DGABC
A Prefeitura de Diadema pretende iniciar até o ano que vem cinco grandes intervenções no sistema viário para reduzir os congestionamentos na cidade. O investimento aplicado será de aproximadamente R$ 232 milhões e a verba utilizada virá do governo federal, por meio do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade e de financiamento com a Caixa Econômica Federal.
Ao todo, serão cinco obras, todas com duração estimada de um ano. Nenhum dos projetos foi licitado ainda, mas o secretário de Transportes, José Carlos Gonçalves, acredita que é possível iniciar os serviços em 2014. O município aguarda a liberação do recurso. O objetivo das modificações é dar mais fluidez ao trânsito na região central e na problemática Avenida Piraporinha.
Com a verba do PAC, a Prefeitura fará um viaduto sobre a Rodovia dos Imigrantes, ligando a Avenida Dona Ruyce Ferraz Alvim com a Estrada Samuel Aizemberg, em São Bernardo. Hoje, o motorista que está nessa via e precisa atravessar a estrada em direção ao município vizinho tem de dar volta com cerca de três quilômetros, passando pela Avenida Eldorado e Rua Rio de Janeiro.
As outras duas intervenções bancadas pelo programa federal serão as ligações terrestres daAvenida Fundibem e da Rua Mem de Sá com a Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, também em São Bernardo. “Os moradores da região do Jardim Portinari, Casa Grande e Jardim Ruyce têm de passar pela Piraporinha para chegar a São Bernardo. Essas obras vão diminuir os congestionamentos nessa via”, comenta Gonçalves.
Já as obras com o financiamento da Caixa visam solucionar os nós viários na região central. Um dos projetos é o viaduto estaiado que ligará as avenidas Roberto Gordon e Sete de Setembro, que também irá transpor a Rodovia dos Imigrantes.
A última intervenção será um elevado de acesso do Corredor ABD para a Avenida Piraporinha, eliminando o cruzamento em nível entre as duas vias. “Quem vem de Piraporinha e quer ir para o Centro de Diadema não precisa dar aquela volta. Já pega a alça e cai na Fábio Eduardo Ramos Esquível. Isso irá diminuir muito o tempo de deslocamento”, explica o titular da Pasta.
Outra adaptação viária, de menor porte, será feita logo no início do ano, em janeiro. Será criada uma opção de conversão à esquerda da Avenida Fagundes de Oliveira para a Piraporinha. “O usuário que quer ir para São Bernardo tem de dar a volta por trás do terminal de ônibus e andar mais 750 metros”, destaca Gonçalves. Segundo ele, estudo feito pela secretaria aponta que, do total de motoristas que passam diariamente pela Fagundes de Oliveira, 72% vão para a Piraporinha com intuito de chegar ao município vizinho.
CORREDOR ABD
No segundo semestre do ano que vem deverá ser iniciada a transposição do Corredor ABD de trólebus (Jabaquara/São Mateus/Brooklin). O corredor de ônibus, que hoje passa pela Avenida Antônio Piranga, será deslocado para a Fábio Eduardo Ramos Esquível. O objetivo é melhorar a fluidez na via exclusiva e diminuir risco de atropelamentos no Centro. A intervenção custará cerca de R$ 36 milhões e será paga pelo governo do Estado.
Zona Azul entra em vigor em um mês
Deverá entrar em vigor no mês que vem o sistema de estacionamento rotativo no bairro Piraporinha, em Diadema. Serão criadas cerca de 100 vagas na modalidade Zona Azul nas principais vias. Atualmente, a cidade possui 700 espaços desse tipo, cujo valor cobrado é de R$ 0,75 a cada meia hora de permanência.
O secretário municipal de Transportes, José Carlos Gonçalves, afirma que foram iniciados na semana passada os trabalhos de conscientização da população, com faixas e panfletagens. As multas para quem estacionar sem comprar o tíquete começarão a ser aplicadas em dezembro.
A ampliação da Zona Azul divide opiniões de motoristas e comerciantes, mas Gonçalves garante que o sistema irá aquecer as atividades econômicas locais. Isso porque, sem a cobrança, muitos condutores estacionam o carro pela manhã e só retiram o veículo à tarde, ocupando o espaço de quem pretende parar para visitar o comércio.
Em janeiro, a ideia é expandir o sistema de estacionamento para o bairro Serraria. Ainda não foi definido, no entanto, o número de vagas que serão criadas. O projeto de lei que autoriza a ampliação da Zona Azul foi aprovado em dezembro de 2010 pela Câmara Municipal.
Em Santo André, a Prefeitura também pretende criar ainda neste ano novos espaços pagos nas ruas dos bairros Jardim, Vila Assunção, Vila Bastos e Vila Gilda. Atualmente, a cidade oferece cerca de 2.500 áreas de parada. A cada meia hora, o preço cobrado é de R$ 0,60 e o tempo máximo de permanência do veículo é de duas horas (R$ 2,40). Nos bolsões, é possível ficar até cinco horas, ao custo de R$ 6.
fonte: Fábio Munhoz Do Diário do Grande ABC

Nenhum comentário: