19 de fev de 2012

Diadema terá hotel com investimento de R$ 120 milhões


Após a inauguração, em maio de 2009, do Shopping Praça da Moça, Diadema inicia, agora, a contagem regressiva para a realização de outro “sonho antigo” do empresariado e da população local: um hotel capaz de receber o turismo de negócios e adequado à realização de eventos corporativos.
A MZM anunciou ontem (16) a construção de hotel na cidade, como parte de complexo formado ainda por prédio comercial e outros três residenciais, que receberão investimentos de R$ 120 milhões.
O empreendimento vai ocupar área de 10,8 mil metros quadrados entre as ruas Sete de Setembro e Amélia Eugênia, no Centro. O lançamento comercial ocorre no começo do segundo semestre e a obra terá início ainda este ano. A previsão da MZM é entregar o complexo em 2015. O conceito adotado é o mixed-use, por reunir residências, escritórios, lojas e estabelecimentos de serviços em um só local. Na região, o conceito tem como único exemplar o Espaço Cerâmica, localizado em São Caetano.
“Além de oferecer mais conforto ao morador, empreendimentos desse tipo ajudam a movimentar a economia da cidade e fazem com que o comércio invista em melhorias para ganhar competitividade e valorização”, afirmou em nota o presidente da MZM, Francisco Diogo Magnani.
Segundo o diretor comercial e de Marketing da construtora, Helio Korehisa, o hotel terá entre 160 e 180 apartamentos, e atuará no segmento midscale, dirigido ao público de negócios. “Significa que o empreendimento terá entre duas e três estrelas”, explicou o executivo, referindo-se ao sistema de classificação hoteleira usado mundialmente e que vai de uma a cinco estrelas.
Korehisa revelou que a MZM iniciou negociações com operadoras para administrar o hotel e que a empresa ainda não foi escolhida. “A ideia é que o nome seja anunciado juntamente com o lançamento comercial, no início do segundo semestre”, afirmou. O empreendimento terá locais para convenções e eventos, incluindo auditório e salas de reuniões. “Será um espaço vocacionado para executivos que precisam trabalhar ou estão em visita à cidade”, explicou Korehisa.
Mini-shopping - O edifício comercial, por sua vez, terá 14 andares e salas de 30 m² e 35 m², com a possibilidade de junção de espaços até 350 m². O preço será de R$ 5 mil a R$ 6 mil o metro quadrado. Hotel e edifício comercial serão erguidos sobre stripmall (mini-shopping) com área para lojas, restaurantes, bancos e padaria. “O espaço fará também a integração entre o hotel e o edifício comercial”, disse Korehisa.
As três torres residenciais, por sua vez, terão 16 andares cada e, somadas, 408 apartamentos de dois e três dormitórios, com área entre 65 m² e 80 m² e preço na casa de
R$ 4 mil o metro quadrado – ou  R$ 260 mil a unidade de 65 m². Terão o conceito de condomínio-clube, com infraestrutura completa de lazer e serviços.
fonte:  ANDERSON AMARAL - DIÁRIO REGIONAL

Nenhum comentário: