8 de ago de 2011

Mercado imobiliário da região movimentou R$ 1 bilhão no primeiro semestre deste ano


O mercado imobiliário do ABC vive um ótimo momento e movimentou cerca de R$ 1 bilhão nos primeiros seis meses deste ano, informa Milton Bigucci, presidente da Acigabc (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC). O ritmo aquecido das construções se mantém, principalmente, em função das facilidades na obtenção de crédito imobiliário e da isenção do IPI para compra de materiais de construção.
O número de lançamentos de prédios de apartamentos realizados na região no primeiro semestre de 2011 é o maior para o período nos últimos cinco anos e registra crescimento de 8,62% em relação aos seis primeiros meses de 2010. As vendas também acompanharam o crescimento e evoluíram 6,5% contra o primeiro semestre de 2010, passando de 2.794 para 2.966 contratos fechados.

SÃO BERNARDO
São Bernardo teve o maior número de vendas de imóveis novos. Foram 1.243 unidades, seguida por Santo André (700), Mauá (459), São Caetano (417) e Diadema (147). O levantamento da Acigabc não considera as construções de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.
O resultado do primeiro semestre deste ano fica atrás apenas do obtido no período de 2007 e 2008 quando foram comercializados 3.453 imóveis em 2007 e 3.807 em 2008. O boom imobiliário da época se deveu, segundo Bigucci à abertura de capital de várias construtoras e incorporadoras. Com ações na Bolsa de Valores, as empresas passaram a ter responsabilidade de apresentar resultados aos seus acionistas, o que ocasionou o grande número de lançamentos.

TERRENOS
Segundo Bigucci, o setor se mantém confiante com os resultados, tanto que lançou 4.191 unidades, 9,4% a mais do que no primeiro semestre de 2010 e recorde na série histórica de cinco anos. É a primeira vez que Mauá aparece na pesquisa semestral. Sozinho, São Bernardo responde por 47% das unidades lançadas pelas incorporadoras na região, contabilizando um total de R$ 666,6 milhões.
Em segundo lugar está Santo André, com 18% dos lançamentos, seguida por Diadema (16%), São Caetano (13%) e Mauá (6%).
"São Bernardo é o município que mais possuía grandes terrenos para a construção", explica Milton Bigucci, presidente da Associação.
Os apartamentos de três quartos ainda são os campeões em lançamentos. Foram 1.662 unidades, no valor de R$ 613,4 milhões. Em seguida ficaram as unidades de dois quartos (2.199), de quatro dormitórios (282) e de um quarto (48). "Historicamente, os clientes procuram apartamentos com dois ou mais dormitórios, no lugar de apenas um", explica Milton Bigucci. Segundo ele, não há vantagens para as construtoras lançar empreendimentos com apenas um quarto porque os custos de construção são muito próximos dos apartamentos com dois quartos.

DIADEMA
O presidente da Acigabc prevê que a bola da vez do mercado imobiliário agora está com Diadema. A proximidade com a, o Rodoanel e o crescente desenvolvimento econômico da cidade se somam aos preços de terrenos ainda mais vantajosos em relação ao ABC. Bigucci acredita que as construtoras vão investir cada vez mais em empreendimentos no município.
Ainda de acordo com o presidente da Acigabc, as perspectivas para o segundo semestre são ainda melhores e encontram apoio na manutenção da isenção do IPI para compra de materiais de construção até o fim de 2012. A manutenção das linhas de crédito é outro estimulante. No entanto, Bigucci mostrou preocupação com as quedas de movimento das bolsas de valores no mundo ocorridas nesta semana. Para ele, o cenário do mercado imobiliário no Brasil - e na região - pode mudar caso se mantenha a turbulência econômica mundial.   



fonte: ÉDISON MOTTA - JORNAL ABC REPÓRTER

Nenhum comentário: