1 de fev de 2011

ÔNIBUS A ETANOL: SCANIA DÁ O PONTO DE PARTIDA



Ônibus a etanol aditivado circulou no Corredor  Metropolitano ABD em fase de teste de demonstração. Foto: Divulgação
Ônibus a etanol aditivado circulou no Corredor Metropolitano ABD em fase de teste de demonstração. Foto: Divulgação
 
Primeiros modelos vão rodar em São Paulo até junho; tecnologia europeia com combustível brasileiro

A primeiro lote de 50 ônibus a etanol aditivado que serão fornecidos pela Scania à Viação Metropolitana, Capital, será o ponto de partida para a fabricante dos motores atender à demanda no setor. Os ônibus começam a circular entre maio e junho deste ano. A expectativa da montadora é expandir o projeto para outras cidades, porém, a operação dos ônibus não vai depender de testes, mas do interesse do mercado. A informação é do gerente executivo de Vendas de Ônibus da Scania do Brasil, Wilson Pereira. “Outros entendimentos estão sendo mantidos, inclusive com operadores do transporte público nas cidades da região do ABC”, acrescenta.

De acordo com o executivo, no Brasil, a circulação de ônibus movido a etanol aditivado começa a ser desenvolvido em São Paulo, mas a participação da Scania com este tipo de tecnologia vem de longa data. A produção em escala comercial começou em 1990. Pereira afirma que há cerca de 700 ônibus rodando na Suécia, Noruega, República Tcheca, Polônia, Inglaterra e Bélgica.

A tecnologia dos motores foi desenvolvida pela matriz Sueca, que autorizou a Scania Latin America a produzir os motores na unidade da empresa em São Bernardo. No mercado de ônibus urbano, a Scania participa com cerca de 10%. Com a venda dos primeiros ônibus a etanol, a montadora pretende aumentar a participação neste nicho de mercado. “A Scania terá capacidade para atender à demanda”, explica Pereira. São Paulo tem uma frota de 15 mil veículos de transporte público.

Corredor ABD - Os primeiros modelos que serão entregues em São Paulo, os K  270 4x2  emitem 90% menos de material particulado e 62% menos óxidos de nitrogênio. “A redução da poluição é um benefício inegável para a saúde pública e qualidade de vida”, comenta o executivo.

O veículo faz parte do programa BEST (BioEtanol para o Transporte Sustentável) que incentiva mundialmente o uso do etanol em substituição ao diesel no transporte público. No Brasil o projeto foi desenvolvido e coordenado pelo Cenbio (Centro Nacional de Referência em Biomassa) do Instituto de Eletrotécnica e Energia, da USP.

O custo total do projeto foi de R$ 1,6 milhão e participam Scania (motor e chassi), Marcopolo (carroceria), BAFF e SEKAB (importação do aditivo) e Petrobrás (distribuição do combustível). A Unica (União da Indústria Canavieira de São Paulo) forneceu o etanol para os testes, enquanto o primeiro lote de combustível aditivado foi importado da Suécia pela Copersucar.

Os primeiros testes de demonstração no Brasil – os de tecnologia já eram realidade em países da Europa – foram realizados no Corredor Metropolitano ABD. Um modelo do ônibus circulou na linha São Mateus-Jabaquara (Metra) que atravessa Santo André, São Bernardo e Diadema.

fonte: Niceia Climaco - JORNAL ABCD MAIOR

Um comentário:

Anônimo disse...

E a eletrificação do sistema que está em obras desde setembro do ano passado?
E além do mais sabe-se que não há intensão de renovar a frota de trólebus, ou seja as cidades terão que dividir os que já existem, circularão mesmo é os a diesel.
Portanto isso é mais marketing do que intervenção ou preocupação com o meio ambiente, de qualquer forma para nós é uma passo.