28 de dez de 2010

DIADEMA VENDE BELEZA PARA O PAÍS



 
Jenifer (esq.) e Tatiana, da Lipson: terceirização da fabricação de cosméticos é explorada pela empresa. Foto: Amanda Perobelli
Jenifer (esq.) e Tatiana, da Lipson: terceirização da fabricação de cosméticos é explorada pela empresa. Foto: Amanda Perobelli


Os consumidores de produtos de higiene e de beleza da Região podem não imaginar, mas muitos dos xampus, hidratantes e perfumes comprados em frascos de marcas como Johnson & Johnson, Natura e Avon são produzidos no próprio ABCD. Isso porque, para atender a alta demanda de inovações em produtos, as grandes empresas terceirizam parte de sua produção. A Lipson Comésticos, empresa instalada em Diadema, é uma das fornecedoras das principais empresas que comercializam itens de higiene e cosméticos no País.

Atuante no desenvolvimento, fabricação e envase de média de 10 milhões de unidades de produtos por mês, a Lipson já registrou mais de sete mil fórmulas na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), nenhuma para ser comercializada com a sua marca. “Somos os vice-campeões brasileiros em número de registros de patentes na Anvisa, mas nosso foco é a produção exclusiva para terceiros”, explica Tatiana Fernandez, responsável pela área de Novos Negócios.

De acordo com Tatiana, a terceirização de produtos de higiene e cosmética não é restrita ao mercado brasileiro. A procura por plantas para a terceirização no Brasil, por investidores estrangeiros, é latente. “Recebemos muitas empresas procurando expandir seus negócios e entrar no mercado brasileiro. Por meio da terceirização das atividades de fabricação, as empresas têm procurado reduzir os custos e elevar sua flexibilidade produtiva, aumentando assim a sua competitividade”, revela.

Desde sua criação, em 1989, a empresa produz projetos independentes e variados, o que significa que sua estrutura está pronta a se adaptar às diferentes demandas externas. “Há cerca de cinco anos, a empresa passou por um processo de reengenharia e automação de suas linhas de produção.

Tivemos que inovar em processo para continuar a atender com a qualidade e a rapidez que o mercado pede”, explica Jenifer Tenheri, gerente de Controle de Qualidade. A Lipson possui área de metalurgia própria, para atender a demanda de novos processos, comuns ao lançamento de novos produtos.

Fundada na Capital, há 15 anos a empresa mudou de endereço, elegendo o Polo Cosmético de Diadema como nova sede. A estratégia de logística, prevendo redução de custos e proximidade com fornecedores, funcionou. A Lipson acabou de construir e adaptar uma nova planta fabril, dedicada exclusivamente à produção de maquiagem, também em Diadema.

No entanto, para atender um mercado que movimentou mais de US$ 28 bilhões no Brasil, em 2009 – volume que deixou o País atrás apenas de Estados Unidos e Japão no mundo –, é necessário investir em pesquisa, desenvolvimento e tecnologia.

No caso da Lipson, empresa adquire e desenvolve tecnologias para poder trabalhar com diferentes tipos de formulações, desde as econômicas até as altamente sofisticadas. Trabalhando no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento, 15 químicos e farmacêuticos focam em criação e controle de qualidade. “Quando a demanda vem de uma grande empresa, geralmente a fórmula vem pronta. Mas nós também atendemos pequenas e médias e nesses casos o desenvolvimento e a inovação em produto são muito solicitados”, explica. De acordo com Jenifer, a indústria de cosméticos não apenas precisa estar atenta aos processos de inovação para sobreviver, como o próprio mercado cobra novas soluções. “Quem encomenda quer estar alinhado com as descobertas globais e agregar valor apresentando ativos recém-descobertos e com maior eficácia.”

De acordo com a ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), a indústria brasileira apresentou crescimento médio de 0,5% nos últimos 14 anos, tendo passado de um faturamento líquido de R$ 4,9 bilhões em 1996 para R$ 24,9 bilhões em 2009. (Texto publicado originalmente na revista INOVABCD).

FONTE: Joana Horta - ABCD MAIOR
 
  

Nenhum comentário: