27 de dez de 2010

Caixa terá mais 10 agências na região do Grande ABC


A Caixa Econômica Federal está reforçando sua rede de atendimento no Grande ABC. Em 1998, a instituição financeira contava com apenas 13 agências na região. Hoje já são 34 e há planos de abertura de mais dez em 2011. Entre elas, a primeira em Rio Grande da Serra - única cidade ainda não assistida por uma unidade do banco - e outras filiais em Diadema (na Praça da Moça), no Centro de São Bernardo e na Vila Luzita, em Santo André.
Além disso, a Caixa conta atualmente com 143 revendedores lotéricos - em que é possível abrir conta, receber benefícios sociais, como Bolsa Família, FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e seguro-desemprego, pagar boletos e outros serviços -, e esse número também deve crescer no ano que vem. Há mais 16 pontos em licitação, segundo o superintendente na região, Everaldo Coelho da Silva.
Outra forma de acessar os produtos da instituição é por meio de 429 correspondentes bancários nos sete municípios. São empresas de comércio, serviços ou entidades de trabalhadores (há desde sindicatos até imobiliárias, mercadinhos e lojas de material de construção). No fim de 2009, eram apenas 207, ou seja, houve crescimento de mais de 100% em 2010. Coelho da Silva explica que os correspondentes cumprem o papel de disseminar o atendimento, já que, muitas vezes, estão em locais onde o banco ainda não tem acesso.
O comerciante José Fontenele de Souza Lima tem mercadinho que opera dessa forma, em São Bernardo. Ele conta que foi um dos primeiros a aderir, há cerca de dez anos, e diz que fica satisfeito de atender a população carente das proximidades.
Embora receba apenas R$ 0,10 por operação efetuada, afirma que pelo menos 20% das pessoas que vão ao local pagar contas, por exemplo, costumam comprar algo, o que amplia suas vendas. No entanto, queixa-se que a movimentação gera insegurança. Desde 2009, já sofreu quatro assaltos.
Saldo em caderneta de poupança aumentou 20%
Os resultados da Caixa no Grande ABC acompanham o forte crescimento da rede de atendimento do banco.
O saldo em caderneta de poupança, por exemplo, chegou a R$ 2,5 bilhões, 20% mais que o do ano passado, com a captação líquida alcançando R$ 300 milhões.
Além disso, as operações de crédito para pessoa física, por exemplo, cresceram no ano, até o dia 15 deste mês, 15% em relação ao mesmo período de 2009, ao somarem R$ 542 milhões. Já para pessoa jurídica, a expansão foi de 35%, para o total de R$ 573 milhões.
No dia 29, a Caixa fará um balanço do crédito habitacional no País neste ano. Até outubro, o financiamento nessa área somava R$ 940 milhões na região. A expectativa é que seja ultrapassada a marca de R$ 1 bilhão em 2010.

Leone Farias 
Do Diário do Grande ABC

Nenhum comentário: