23 de nov de 2010

UM APAIXONADO PELA MEMÓRIA DE DIADEMA

Nas últimas duas décadas, pesquisar tem sido a palavra que permeia a vida do metalúrgico aposentado Walter Adão Carreiro, 71 anos. Apesar da quantidade de nomes e datas, o memorialista tem a história de Diadema e dos principais personagens da cidade na ponta da língua. Em meio a livros, fotos, atestados de óbito, visitas a cemitérios e entrevistas com os moradores mais antigos, o pesquisador conseguiu descobrir e resgatar curiosidades, segredos e fatos pitorescos.

A ideia de virar um memorialista surgiu em 1989 durante uma reunião na casa de Sylvia Ramos Esquível, esposa do primeiro prefeito de Diadema. O fato de a população não saber os significados dos nomes das ruas despertou a curiosidade e o instinto de detetive no aposentado. “Desde então me empenhei em descobrir a história de cada uma das 2,2 mil vias da cidade”, explicou. A pesquisa virou livro que deve ser editado entre o final deste ano ou no início de 2011.

Sem saber usar máquina de escrever e com a pouca popularidade da internet e do computador no País na época, Carreiro fazia todas as anotações à moda antiga, com caneta e papel. A falta de recurso também foi uma dificuldade a ser superada. “Para conseguir comprar meu primeiro gravador, em 2001, tive de vender um relógio de pulso”, comentou.

Dentre todos os locais que visitou, Carreiro pegou gosto pelos cemitérios. “Lá estão enterradas as histórias das cidades. Há sempre uma surpresa”, revelou. Sem dinheiro, o aposentado estava acostumado a passar o dia inteiro entre o silêncio dos túmulos dos cemitérios da Consolação, Vila Mariana e Diadema. “Queria aproveitar ao máximo. Ficava horas sem comer e só bebia água por causa dos bebedouros públicos”, disse.

Ao longo do percurso, Carreiro acumulou centenas de amigos e um acervo pessoal de 3,5 mil fotos que ilustram a história da cidade. O registro mais antigo é de 1908, uma foto de Horácio Messias Nogueira, fundador da Vila Nogueira. “O original foi doado pela nora dele, Dina Nogueira”, disse. Atualmente Carreiro escreve um segundo livro, que abordará as peculiaridades da história de Diadema e dos personagens que dela participaram.

Claudia Mayara - ABCD MAIOR

Nenhum comentário: