7 de nov de 2010

Região tem 10 mil vagas temporárias neste Natal


O Natal será promissor para os comerciantes do Grande ABC. O bom momento da economia animou o setor, que prevê crescimento de até 20% neste fim do ano. Mas não só os lojistas que devem rir à toa. Com maior consumo, os estabelecimentos já começam a selecionar mais funcionários para atender o aumento na demanda, o que deve expandir a oferta para 10 mil postos de trabalho.
 "Este fim de ano também proporcionará aumento de vagas e o Grande ABC deverá gerar cerca de 10 mil empregos temporários. Quando falamos em geração de empregos no período de Natal, devemos considerar que os postos não são abertos apenas no comércio, mas também nas indústrias e nas empresas de prestação de serviços", diz o superintendente da Acisa (Associação Comercial e Industrial de Santo André), Luís Antonio Sampaio da Cruz. Para ele, o crescimento das vendas está relacionado ao momento econômico positivo pelo qual passa a região do Grande ABC, bem como ao aumento do número de empresas aqui instaladas no decorrer deste ano.
 Já a Ace Diadema (Associação Comercial e Empresarial de Diadema) é ainda mais otimista quanto ao panorama de consumo. O vice-presidente da entidade, Maximino Barbosa de Almeida, afirma que as vendas do comércio devem ser até 20% maiores do que as registradas no fim do ano passado. "A população está animada, a classe C em ascendência. Não tem como não ser um bom Natal", avalia ele, que prevê 20% mais vagas no comércio da cidade. "Desses empregos, cerca de 10% podem ser efetivados nos postos até o ano que vem", completa.
 O presidente da Acisbec (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo), Valter Moura prevê que este será o melhor Natal da década para o comércio. "Neste ano haverá acréscimo de 18% a 25% nas vendas. Até porque a economia cresce por volta de 7,5% a 8% e, se comparamos o PIB, que no ano passado foi quase zero e este ano ficou em torno de 7,5%, podemos ver que temos números expressivos para nos amparar. O consumidor está confiante. Há estabilidade no emprego e aumento real da renda", diz. Para ele, o valor injetado na economia por conta do 13º salário (cerca de R$ 1,8 bilhão) também será diferencial para a região. "Estamos em situação muito favorável", conclui.

Paula Cabrera
Do Diário do Grande ABC

Nenhum comentário: