12 de nov de 2010

Indústria gera 10,5 mil vagas na região

Com a ajuda das fortes vendas de veículos, que aqueceram a produção na montadoras, o setor industrial do Grande ABC ampliou as contratações neste ano. Levantamento do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) aponta que, entre as empresas associadas às diretorias regionais dessa entidade, houve a geração de 10,5 mil postos de trabalho nos sete municípios no período de janeiro a outubro.
 
A pesquisa mostra ainda que, no mês passado, foram criadas 550 vagas. Por essa comparação, São Caetano foi destaque, ao computar o segundo maior percentual de crescimento no nível do emprego, entre todas as regionais no Estado. Teve expansão de 1,1%, que significou a abertura de 250 postos.
 
Em números absolutos, no entanto, São Bernardo, lidera no Grande ABC, com 500 vagas criadas pelas fabricantes em outubro, e 4.500 nos dez primeiros meses. As indústrias de Diadema também foram bem, somando 4.050 contratações no acumulado do ano.

SETORES - Os dados da pesquisa indicam que o impulso nas admissões no mês se deveu em boa parte à cadeia automotiva da região.
 
Em São Bernardo, as principais contribuições no índice de emprego vieram das montadoras e autopeças, das fabricantes de produtos de metal e das de plástico e borracha (indústrias que também fazem componentes automotivos). Essa última atividade também liderou as contratações em Diadema.
 
Por sua vez, em São Caetano, duas áreas se destacaram: a fabricação de produtos de metal e a de móveis. Para o diretor da regional de São Caetano do Ciesp, William Pesinato, a ampliação de postos nesses segmentos não surpreende, já que a produção automobilística aquecida propicia mais encomendas também de itens de metal. "E quem fabrica móveis está se saindo bem, já que as vendas de imóveis estão em alta", assinala.

MÁQUINAS - A situação do emprego nas indústrias da região só não é melhor porque alguns segmentos - como a área de máquinas e equipamentos - vêm sofrendo com o câmbio desvantajoso, que tem gerado a substituição da produção local pela importação. Segundo o diretor do Ciesp de Santo André, Shotoku Yamamoto, esse foi um dos fatores que levaram à retração de 250 vagas entre associadas da regional do município em outubro.
Em todo o Estado, foram criados 195 mil postos de trabalho
Em todo o Estado, foram abertos 1.500 vagas no setor industrial no mês passado e, de janeiro a outubro, houve a geração de 195,5 mil postos de trabalho, de acordo com estudo da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). A estimativa da entidade é de que a indústria paulista deve gerar entre 110 mil e 120 mil empregos neste ano, o que equivaleria a aumento entre 4% e 4,1% em relação ao patamar registrado em 2009.
 
No entanto, o diretor adjunto do departamento de economia da Fiesp, Walter Sacca, ressalta que a criação de 1.500 postos no mês deve ser vista com reserva, uma vez que, embora exista bom crescimento, tal fato pode ser um pouco ilusório, pois a base de comparação com 2009 é fraca. Ainda de acordo com o estudo, em outubro, de 22 setores analisados, 13 exibiram resultados positivos, o que representa o menor valor desde dezembro de 2009."Esse fato sinaliza que está avançando o processo de desindustrialização no País", diz Sacca. Esse processo é evidenciado também pela redução da parcela da indústria de transformação no PIB (Produto Interno Bruto), que já chegou a 27% e atualmente está em 15%. (com AE)

Leone Farias 
do Diário do Grande ABC



Nenhum comentário: