5 de dez de 2008

Morre uma das emancipadoras de Diadema

Escrito por Da Reportagem Local (DIÁRIO REGIONAL)
sexta-feira, 05 de dez de 2008 08:26

Faleceu ontem, por volta das 16 horas, aos 95 anos, em Santos, a ex-vereadora e uma das emancipadoras de Diadema, Sylvia Ramos Esquível.

De cama havia sete anos, vítima de derrame cerebral, a primeira-dama da cidade, esposa do emancipador e prefeito do município, Evandro Caiaffa Esquível, terá seu corpo velado no plenário da Câmara sepultado hoje à tarde no Cemitério Municipal – até o fechamento desta edição a família não havia definido o horário.


Dona Sylvia era uma mulher à frente de seu tempo, como definiu seu neto Maurício Denari. “Ela sempre foi independente. Meu avô faleceu há muitos anos (1983, aos 76 anos) e minha avó viveu anos sozinha na chácara da família. Ela cuidava da sua vida, das suas coisas, do seu dinheiro. Uma vez nós (família) a pegamos trocando telhas da casa”, lembrou o neto.


Denari conta que Dona Silvia viveu os últimos anos de vida na casa de sua mãe, Vania Silvia Esquível Denari, em Santos, e que já não andava devido o derrame. “Ela se comunicava com a gente com uma das mãos.”


Dona Sylvia foi inspetora, professora e diretora de escola. Foi vereadora e dedicou a vida à educação e o crescimento de Diadema. Tanto que quando o casal Esquível mudou-se para Diadema, isso em 1939, Evandro Esquível abriu um curso noturno de alfabetização de adultos. O casal inaugurou uma capela na esquina da avenida Antônio Piranga com a rua Manoel da Nóbrega, substituída nos dias atuais pela Matriz de Diadema. Ajudou a reanimar as atividades religiosas na Igreja Nossa Senhora da Conceição e passou a participar de campanhas para conseguir luz elétrica na vila.


Foi motivada por esta falta de infra-estrutura e pelo descaso das autoridades de São Bernardo do Campo que surgiu a iniciativa de fazer da região dessas vilas uma cidade autônoma e independente.

Nenhum comentário: