18 de set de 2008

Nota de Enem incentiva participantes

Nota de Enem incentiva participantes

Vanessa Fajardo
Do Diário do Grande ABC


Atingir a pontuação de 66,57, a melhor marca entre todas as escolas de Diadema no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no ano passado, ainda reflete positivamente no Centro Educacional Alexandre Dumas. Ontem, os alunos participaram do Desafio de Redação e assim como no Enem torcem para ter destaque.

Iniciativa do Diário em parceria com a USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), o concurso vai premiar com uma bolsa de estudos da USCS o autor da melhor redação do 3º ano do Ensino Médio. Os demais estudantes concorrem a computadores, bicicletas e televisões.

Matriculadas no 3º ano do Ensino Médio, Rafaela Constantino Votre, 17 anos, e Michelle Acco Gomes, 18, acreditam que a boa nota da classe no Enem do ano passado mostra que elas também são capazes e os estimulam a manter o resultado. Rafaela fez a redação O Medo do Diferente e abordou o preconceito das pessoas com os moradores de rua. Já Michelle, que pretende cursar Ciências Biológicas, falou da importância da consciência e dos limites com os amigos feitos em espaços públicos. "Gosto de escrever, além disso concorrer a bolsa de estudos é muito bom porque todo mundo aqui quer fazer faculdade", diz.

Eduardo Calzzetta e Douglas Yudi, de 17 anos, também representaram a escola Alexandre Dumas no Desafio de Redação. "Quero estudar Relações Públicas e me interesso pela bolsa de estudos. Mas independentemente da premiação, participar é bom para saber como está nosso desempenho", afirma Yudi. Ele fez o texto O Paradigma da Amizade Utópica com uma relação entre os dois temas propostos no concurso Amizade.com e Amizade na Rua. Já Eduardo conta que, como mora em apartamento, fez um texto baseado nas relações de amizade feitas no prédio. "Também abordei a amizade entre os moradores de rua."

No texto da aluna Marina Souza Silva, 17, aparece uma comparação entre a infância de antigamente onde as crianças criavam seus próprios brinquedos e a de hoje, onde, com medo da violência, jovens se divertem na frente do vídeogame. "Escrever é fundamental e a competição é importante."

Na Escola Estadual Marie Nader Calfat, as alunas Diane Barboza Santos e Jéssica Paloma do Nascimento, ambas com 15 anos, também fizeram as redações ontem. "Contei a história de um homem solitário que não tinha amigos", diz Jéssica.

O Desafio de Redação termina hoje (veja programação de escolas ao lado) e os vencedores serão anunciados no dia 8 de outubro

Estudantes aproveitam concurso para expor opiniões

Mais do que ter a chance de concorrer aos prêmios, os alunos do 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Fábio Eduardo Ramos Esquível encararam o Desafio de Redação como oportunidade para expor idéias e opiniões.

Ingridy Bueno Correa, 15 anos, acredita que os bons escritores que a escola tem podem ser revelados no Desafio. "Além disso o concurso faz com que a gente abra mais a mente e expanda os conhecimentos." Já Hisllany Rose de Almeida conta que os adolescentes de escolas públicas não acreditam neles próprios, por isso iniciativas como o Desafio de Redação podem ajudar a elevar a auto-estima dos participantes. "Para estas pessoas, cursar uma faculdade é um sonho muito distante, mas não é para ser assim. Por isso, acredito que esta seja a hora de mostrar que temos talento."

Felipe Gonçalves, 15, também fez a redação do Desafio com o espírito de transmitir conhecimento. Ele contou a história dos avós que permaneceram casados por 50 anos e iniciaram o relacionamento por meio de uma amizade descomprometida feita na rua, já que eles eram vizinhos.

A escola também foi representada pela redação de Ana Paula Assunção Martins, 15, que escreveu sobre a dificuldade de encontrar amigos fiéis.

Coordenadoras da instituição, Claudia Maria Ferreira e Solange Luciana da Silva, disseram que a atividade foi importante para que os alunos desenvolvam a escrita e sintam seu nível perante aos demais estudantes da região. "Além do mais serve como treino e preparação a outros eventos como o Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo)", resume Claudia.

Um comentário:

Anônimo disse...

Caro Eduardo,

Estou surpreso com essa média das escolas particulares de Diadema, se o Centro Educacional Alexandre Dumas, foi a melhor instituição com a nota de 66,57 imagine então as demais. De fato não vejo nenhum mérito nisso já que minha pontuação no ENEM do ano passado foi de 75,60, e tristemente estudei toda a minha formação básica em escola pública. Lamentável para essa escola fazer tanto alarido, espalhando faixas pela cidade e seu melhor representante está aquem de pelo menos "um" ( se é que não há outros) da rede pública.
É claro que se fala aqui de média geral, o que realmente segundo dados do INEP, Diadema está bem ruim e distante de 66,57;porém o que me parece ao ler o texto é que essa média diz respeito a um aluno específico , o que se for confirmada minha interpretação sou bem melhor. Ao ler as tais propagandas imaginava algo superior a 90,00 de média. Sinceramente lamento.
Parabéns pelo Blog.
Abraços!
J. Teixeira