22 de ago de 2008

Mário Reali sai na frente em Diadema com 38% dos votos



PESQUISA DO JORNAL REPÓRTER DIÁRIO

21/08/2008
Repórter Político
Mário Reali sai na frente em Diadema com 38% dos votos

Aline Bosio




O petista Mário Reali aparece na primeira colocação na pesquisa eleitoral estimulada. O candidato da situação registra 38% da preferência dos eleitores, seguido por José Augusto (PSDB), com 28%. Ricardo Yoshio (PMN) conta com 4% dos votos e Vladão (PCB) registrou menos que 1%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 19 e 20 deste mês, quando 400 pessoas foram entrevistadas. A margem de erro é de 4,9% para mais ou para menos. O documento foi registrado na 222ª Zona Eleitoral sob o número 004/2008, processo 153/08.

Entre as seis regiões pesquisadas na cidade, a que Reali abre a maior vantagem perante seu principal adversário é no Jardim Canhema. O petista aparece com 50% e José Augusto registra 18% da intenção de voto. No Casa Grande e Vila Conceição a situação não é muito diferente. Reali vence o tucano com diferenças de 17% e 15% respectivamente. No Centro, a diferença cai para 2 pontos percentuais. Entretanto José Augusto está em vantagem em duas regiões. Ele aparece com 3% a mais dos votos no Taboão e 13% no Eldorado.

O melhor desempenho de Ricardo Yoshio foi na Vila Conceição, com 12% da preferência. Já no Canhema e no Centro o prefeiturável não atingiu nem 1 ponto percentual. Vladão registrou 1% no Taboão e nas demais regiões o candidato não atingiu 1 ponto percentual. Entre os entrevistados, 10% afirmaram que não votarão em nenhum dos pleiteantes à vaga do Executivo e 21% ainda estão indecisos.

Quando o assunto é o conhecimento da candidatura dos prefeituráveis, José Augusto aparece na frente com 74%, seguido por Mário Reali, com 73%. Ricardo Yoshio é conhecido por 19% dos entrevistados e Vladão por 4%. No total, 21% das pessoas ouvidas na pesquisa não souberam responder quais são os candidatos.

Espontânea
Na pesquisa espontânea Mário Reali também aparece na frente, com 31% dos votos contra 22% de José Augusto. Ricardo Yoshio registra 2 pontos percentuais e Vladão não foi citado pelos entrevistados. O número de indecisos salta para 37%, enquanto 8% afirmam que irão anular o voto.

Assim como na pesquisa estimulada, Reali desponta na frente na região do Canhema com 41% dos votos, 27 pontos percentuais a mais que José Augusto que, por sua vez, também aparece na frente nos bairros Taboão e Eldorado, com 29% da intenção dos votos contra 24% do petista, e 35% contra 23%, respectivamente. Yoshio aparece com 8 pontos percentuais na região do Conceição, mas não registra intenções de votos em locais como o Centro da cidade, Taboão e no Casa Grande.

Rejeição
A disputa entre os candidatos com o maior índice de rejeição está entre José Augusto e Vladão. Enquanto o tucano aparece com 24% na pesquisa, o comunista vem logo em seguida com 21%. Mário Reali aparece na terceira colocação, com 18 pontos percentuais e Yoshio registra 17%. 47% dos entrevistados não rejeitam ou não sabem se rejeitam os candidatos que estão disputando as eleições municipais.

Casa Grande é o local em que José Augusto registra o maior índice de rejeição: 30 pontos percentuais. Já Vladão conta com 35 pontos no Jardim Eldorado e, no mesmo bairro, Reali registra 29 pontos percentuais.

Especialistas
O professor de Ciência Política da Fundação Santo André, Marco Antônio Teixeira, acredita que um dos principais motivos que levam Mário Reali a despontar na frente na corrida eleitoral é o fato do candidato ter conseguido apoiadores de peso. "O PT conseguiu um grande aliado, que foi o ex-prefeito Gilson Menezes. Isso pode tornar a disputa mais fácil em relação aos pleitos anteriores", diz.

O cientista político diz também que "os indecisos tendem a optar pela candidatura do Reali, pois como o José Augusto já foi prefeito, as pessoas o conhecem mais, fazendo com que elas busquem o que é novo, que registra menos rejeição".

Já o diretor do Instituto Opinião, Nilton César Tristão, observa que 10% do eleitorado indeciso poderá decidir o cenário político da cidade. Ele explica que em 2004 havia 21% de votos perdidos (brancos, nulos e abstenções) e que neste ano a pesquisa registra 31% (sem abstenções). "Se o índice de 2004 não for alterado, 10% do eleitorado é que definirá quem será o prefeito eleito e se será no primeiro turno", conclui. "É mais fácil o Mário Reali vencer no primeiro turno em Diadema do que o Vanderlei Siraque em Santo André", finaliza.

Nenhum comentário: